Política

Depósito de R$ 23 mil motivou depoimento de vereador no Gaeco

Carlão vendeu caminhonete para Scaff

Jessica Benitez Publicado em 20/09/2016, às 19h51

None
carlosborges.jpg

Carlão vendeu caminhonete para Scaff

O vereador Carlos Borges (PSB) já foi ouvido pelo promotor Thalys Fraklyn na sede do Gaeco . Segundo o legislador, o motivo que o levou a ser notificado foi a venda de uma caminhonete para o procurador jurídico da Câmara Municipal, André Scaff, que teve prisão preventiva decretada por conta da Operação Midas.

Carlão explicou que em 2010 recebeu transferência bancária de R$ 22 mil ou R$ 23 mil porque Scaff adquiriu o veículo. “Meus advogados vão trazer os documentos necessários”, disse. O vereador cassado, Paulo Pedra (PDT), também já deixou o local.

“Foi um depoimento rápido, simples e prestei alguns esclarecimentos”, mas como o processo está em segredo de Justiça, ele não deu detalhes sobre o que falou. “Estou muito tranquilo”, finalizou.

Caso – Scaff, a esposa Karina Mauro e outras 22 pessoas são investigadas por supostamente fazerem parte do esquema. O ex-secretário teria recebido propina dos empresários para realizar aditamentos e renovação de contratos na Prefeitura, durante a gestão de Gilmar Olarte (sem partido).

Jornal Midiamax