Política

Coligação de Rose pede acesso a pesquisa eleitoral do DATAmax na justiça

O juiz deferiu o pedido

Midiamax Publicado em 30/09/2016, às 11h33

None
grafico_intencao_prefeito.jpg

O juiz deferiu o pedido

A coligação “Juntos por Campo Grande”, que tem como candidata a prefeita da Capital, a vice-governadora Rose Modesto (PSDB), entrou na justiça para pedir acesso a pesquisa eleitoral realizada pelo instituto DATAmax, encomendada pelo Jornal Midiamax. O juiz Marcelo Andrade Campos Silva deferiu o pedido.

A decisão foi publicada no Mural Eletrônico do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul), nessa quinta-feira (29). Segundo o relato, trata-se de petitório aforado pela Coligação “Juntos por Campo Grande” a qual requer acesso ao sistema interno de controle, à verificação e à fiscalização da coleta de dados da empresa empresa Conpar – Consultoria, Pesquisa e Participações S/S Ltda-ME, referente à pesquisa eleitoral protocolada sob n.º MS-09130/2016, incluídos os dados relativos à identificação dos entrevistadores, planilhas individuais, mapas ou equivalentes, questionários aplicados(preservada a identidade dos entrevistados), assim como, ao relatório final da pesquisa.

Sendo assim, o juiz explicou que o artigo 34, § 1º, da Lei 9.504/97 e o artigo 13, caput e § 1º, da Resolução/TSE n.º 23.453/2016, permite o acesso a partidos políticos, mediante requerimento ao juiz eleitoral, ao sistema interno de controle, à verificação e à fiscalização da coleta de dados das entidades e empresas que divulguem pesquisas de opinião relativas aos candidatos e às eleições, incluídos os dados relativos à identificação dos entrevistadores, questionários aplicados, relatório final da pesquisa, e, por meio de escolha livre e aleatória planilhas individuais, mapas ou equivalentes, confrontar e conferir os dados aplicados, preservada a identidade dos entrevistados.

Dessa forma, o magistrado deferiu o pedido, a fim de autorizar o acesso, à Coligação “Juntos por Campo Grande” ao sistema interno de controle, à verificação e à fiscalização da coleta de dados relativos à pesquisa eleitoral sob o n. MS-09130/2016 realizada pela empresa empresa Conpar – Consultoria, Pesquisa e Participações S/S Ltda-ME, incluído os dados referentes à identificação dos entrevistadores e, por meio de escolha livre e aleatória de planilhas individuais, mapas ou equivalentes, bem como, ao relatório final e ao modelo de questionário aplicado, sempre preservando a identidade dos entrevistados, sob pena de violação do artigo 34, § 2º, da Lei n.º 9.504/97.

O juiz deu prazo de dois dias para a empresa Conpar – Consultoria, Pesquisa e Participações S/S Ltda-ME, enviar via fac-símile ou e-mail indicados no registro da referida pesquisa, devendo esta encaminhar no endereço eletrônico [email protected], os dados solicitados. Em igual prazo permitirá o acesso do requerente, através de seu representante, se de interesse deste, à sede ou à filial da empresa para o exame aleatório das planilhas, mapas ou equivalentes, em horário comercial.

A pesquisa

A quarta rodada de pesquisa do Instituto DATAmax das eleições de 2016 foi divulgada no último dia 24 de setembro e mostra Marquinhos Trad liderando com 33,10% as intenções de voto para a prefeitura de Campo Grande.

A candidata do PSDB, a vice-governadora Rose Modesto, aparece em segundo na preferência do eleitorado, com 24,30%. O concorrente à reeleição, Alcides Bernal, do PP, pontuou 11,50%, conforme o levantamento. A eleição ocorre dia 2 de outubro, próximo domingo.

Comparando os números desta pesquisa com o do terceiro levantamento eleitoral, divulgado no dia 12 setembro, Marquinhos e Rose subiram na preferência, enquanto Bernal caiu. O índice de eleitores indecisos despencou, segundo o Datamax. Até duas semanas atrás, os eleitores que diziam não saber em quem votar somavam 27%; agora, esse índice ficou em 12%.

Ainda na comparação, nota-se que Marquinhos subiu de 27% para 33%; já a candidata tucana Rose Modesto, saltou de 17% para 24%, a que mais cresceu entre os primeiros posicionados. O índice atingido pelo prefeito Alcides Bernal recuou se confrontado os números com a última pesquisa DATAmax. A intenção de voto do candidato do PP desceu de 12,20% para 11,50%.

Marcelo Bluma, do PV, mais que dobrou sua performance. Ele havia pontuado 0,90%, agora alcançou 2,10% e assumiu a quarta posição. O candidato do PSC, o coronel David, vem na cola de Bluma, com 2,00% da preferência eleitoral.

Alex do PT, que até a última rodada da pesquisa DATAmax era o quarto melhor posicionado, virou o sexto colocado, segundo o levantamento. Ele obteve 1,60%, enquanto na terceira rodada, divulgada em 12 de setembro, o petista havia conquistado 1,10% da preferência eleitoral. Ou seja, Alex não diminuiu o avanço, contudo, seus adversários subiram mais.

O candidato do PTN, o engenheiro Aroldo Figueiró, e o concorrente do PPS, Athayde, pontuaram 0,80%; Rosana Santos, do PSOL, cuja candidatura foi indeferida pela Justiça Eleitoral, aparece com 0,60%; Pedrossian Filho, do PMB, 0,50% e Lauro David, do PROS, 0,30%.

O restante dos candidatos a prefeito de Campo Grande, Suel Ferranti, do PSTU; Adalto Garcia, do PRTB e Eliseu Amarilha, do PSDC, não pontuaram, segundo o DATAmax. A pesquisa DATAmax, apurada entre os dias 19 e 23 de setembro, foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número MS-09130/2016.

Ao todo foram entrevistadas 800 pessoas das sete regiões de Campo Grande: Anhanduizinho, Bandeira, Centro, Imbirussu, Lagoa, Prosa e Segredo que representam 99% da população, conforme IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Estima-se, segundo o instituto, uma margem de erro máximo total que oscila em 3,5 pontos percentuais tanto quanto para cima quanto para baixo, considerando-se um nível de confiança de 95%.

Jornal Midiamax