Política

Após janela de desfiliação, PMDB nega debandada em MS e vê saldo positivo

Em número de prefeitos se mantiveram os mesmos 17 no Estado

Midiamax Publicado em 08/04/2016, às 12h46 - Atualizado em 17/07/2020, às 23h52

None
Foto: Reprodução/Web

Em número de prefeitos se mantiveram os mesmos 17 no Estado

A janela de desfiliação, encerrada no último dia 02, não causou grande alteração no PMDB em Mato Grosso do Sul, segundo o presidente do partido em Campo Grande, Ulisses Rocha. De acordo com ele, a legenda se manteve com os mesmos 17 prefeitos em todo o Estado, sendo que perdeu o de Ivinhema, mas ganhou o de Bandeirantes. Para ele, no geral, não houve debandada e o saldo é positivo.

Com relação ao número de vereadores, o representante da sigla, disse tudo indica que tenha aumentado. “Ainda não conseguimos fechar os número de vereadores em todo o estado, mas tínhamos em torno de 146 parlamentares estaduais e pelo que me informaram mantivemos esta quantidade ou até aumentamos”.

Ulisses cidade de Dourados como exemplo de crescimento. “Em Dourados, perdemos uma vereadora, mas ganhamos quatro. Por isso eu digo que ganhamos mais do que perdemos. Em âmbito estadual, perdemos dois e ganhamos, além de termos perdido um federal”. O deputado estadual Marquinhos Trad foi para o PSD e o colega de plenário Maurício Picarelli se filiou ao PSDB. Na Câmara Federal, quem deixou a sigla, foi o deputado Geraldo Resende, que ingressou também no ninho tucano.

Vale ressaltar que na Câmara Municipal de Campo Grande, as perdas somaram duas e nenhum ganho. A vereadora Magali Picarelli seguiu o caminho do esposo, Maurício Picarelli e foi para o PSDB e Edil Albuquerque ingressou no PTB, presidido pelo também ex-peemedebista e ex-prefeito da Capital Nelson Trad Filho.

Ulisses ressaltou que o partido continua forte e quem saiu é por que não tem a mesma ideologia e sim somente por algum interesse pessoal eleitoral. “É normal este inchaço na legenda que está no poder e muitos se interessarem pela sigla por algum interesse futuro. Nós passamos por esta fase, mas quem fica realmente concorda e é partidário”.

Junior Mochi, presidente estadual do PMDB, segue na mesma linha de pensamento. “Não me surpreende ver que nossos números não tiveram quase alteração. A justificativa é a atuação de nossas lideranças em todo o estado. A maioria de nossos filiados tem 15 ou 20 anos de partido e são comprometidos com nosso trabalho”.

Ulisses Rocha ainda destacou que se percebeu que um partido em específico veio com bastante voracidade na tentativa de tirar grande número de nosso filiados, mas segundo ele não obteve o sucesso esperado. “De fato, ouve essa tentativa de enfraquecer o PMDB, pensando já em 2018, mas não é tão fácil como parecia. Sem duvida já se pensa em 2018 e estaremos na disputa”, relatou o presidente sem citar o partido que se refere. O PMDB tem hoje aproximadamente 55 mil filiados em todo o Estado.

Jornal Midiamax