Política

Vereadores pedem para Prefeitura não ir à Justiça contra professores

Sindicato e Executivo terão nova reunião nesta terça

Midiamax Publicado em 19/05/2015, às 14h15

None
img-20150519-wa0044.jpg

Sindicato e Executivo terão nova reunião nesta terça

Vereadores de Campo Grande querem que a Prefeitura não acione a Justiça enquanto estiver em negociações com professores da Reme (Rede Municipal de Ensino). A categoria votou, em assembleia nesta terça-feira (19), por iniciar greve a partir da próxima segunda-feira (25).

O pedido foi feito pelo presidente da casa, Mario Cesar (PMDB), ao colega João Rocha (PSDB), que participa da intermediação entre a categoria e o Executivo. Isso depois de o presidente do ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais em Educação Pública), Geraldo Gonçalves, usar o microfone na sessão ordinária desta terça para falar sobre a deliberação em favor da greve.

Ficou prevista para as 14h desta terça reunião entre a diretoria do sindicato, vereadores e o interino da Semed (Secretaria Municipal de Educação), Wilson do Prado. Os professores pedem 13,1% de reajuste salarial, para equiparar o piso local ao nacional, elevando-o de R$ 1.679 para R$ 1.917 por 20 horas semanais.

“Não queremos ouvir discurso financeiro, mas solução prática. Tentaram nos convencer com números, mas não conseguiram”, disse Geraldo durante discurso na sessão da Câmara. O vereador Alex (PT) pediu, então, que não houvesse “traição”, ou seja, que a Prefeitura não acionasse a Justiça durante a negociação com os professores.

Em seguida, então, Mario Cesar reforçou o pedido a João Rocha. “Queremos apenas que a lei seja cumprida”, emendou Geraldo em relação à integralização do piso salarial.

Jornal Midiamax