Política

Vereador quer justificativa para aumento de R$ 30 milhões com aposentadoria no IMPCG

Instituto não teria divulgado gastos de 2014

Midiamax Publicado em 03/07/2015, às 17h58

None
img-20150703-wa0071.jpg

Instituto não teria divulgado gastos de 2014

Aumento de ‘mais de R$ 30 milhões’ no IMPCG é a principal dúvida do presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) das Contas Públicas, vereador Eduardo Romero (PTdoB). O gasto seria referente à despesa com aposentadoria.

Outra dúvida, cita o presidente, são gastos referentes à 2014, quando a atual diretora-presidente, Lillian Maria Maksoud assumiu, que não estariam publicados no Portal da Transparência. Nesta sexta-feira, a CPI vai ouvir a diretora, que apresenta o balanço e gastos da pasta.

Nesta oitiva, os integrantes vão seguir a mesma linha das outras reuniões, com busca de dados, custeio da pasta e investimentos. Sobre cortes na pasta, a diretora-presidente disse que cinco pessoas já foram exoneradas e, mais economia neste ponto ‘precisa de cautela’, uma vez que o IMPCG tem serviços que demandam o atual quadro, afirma.

Até agora já foram ouvidos os secretários de Saúde, Jamal Salem, Administração e interino de Educação, Wilson do Prado, o diretor-presidente da Fundação Social do Trabalho (Funsat), Cícero Ávila. Se necessário eles podem tornar a serem sabatinados em acareação. 

Jornal Midiamax