Política

Sindicalista culpa gerentes de unidades de saúde por fraude em folha de ponto

Para Tabosa, denúncia resulta de manobra política

Midiamax Publicado em 18/08/2015, às 14h24

None
tabosa_dg.jpg

Para Tabosa, denúncia resulta de manobra política

O presidente do Sisem (Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos Municipais), Marcos Tabosa, culpou gerentes de unidades de saúde de Campo Grande por fraude em livro de ponto de servidores. O caso foi denunciado à Justiça pelo MPE (Ministério Público Estadual), que pediu o afastamento do sindicalista e do secretário municipal de Saúde Pública, Jamal Salem.

“Um bando de gerentes, em uma manobra política, acusa o sindicato, através de seu presidente, de fraudar folha de ponta. Que poder eu tenho de obrigar um gerente a fraudar folha de ponto?”, rebate Tabosa. Ele disse estranhar o fato de a denúncia do MPE ser feita sem que o sindicato fosse ouvido – a petição levada à Justiça cita depoimentos de dez chefes de unidades básicas de saúde.

“Quem trouxe prejuízo ao erário público foram os gerentes, quando abonaram o livro de ponto dos enfermeiros”, continua o sindicalista, falando sobre procedimento em relação à outra categoria, durante greve em junho. Na denúncia, o MPE aponta que os chefes de unidades básicas foram coagidos por Tabosa e Jamal a fraudarem a folha de ponto de agentes de saúde, assinando como se eles tivessem trabalhado por oito horas, ao passo que a carga horária cumprida teria duas horas menos.

O caso chegou à Justiça na segunda-feira (17). Ainda não há decisão sobre o pedido de afastamento feito pelo MPE, que também quer o cumprimento efetivo da carga horária por parte dos servidores.

Jornal Midiamax