Política

Reinaldo cobra do governo federal solução para conflito agrário em MS

'Vamos lutar pelo estado democrático de direito'

Midiamax Publicado em 30/06/2015, às 13h02

None
img-20150630-wa0038.jpg

‘Vamos lutar pelo estado democrático de direito’

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), cobrou do governo federal solução para conflitos agrários envolvendo índios e fazendeiros. Durante agenda na Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação), na manhã desta terça-feira (30), defendeu que seja cumprido o estado democrático de direito e pontuou que “invasão é um desrespeito às leis”.

“Aqui no Estado, vamos lutar para ser cumprido o estado democrático de direito e que as leis sejam cumpridas. O governo federal precisa dar sinal de solução definitiva, de que vai resolver o problema”, disse Reinaldo. Em reunião entre políticos e fazendeiros, na segunda-feira (29), o deputado estadual Zé Teixeira (DEM) disse, após conversa com colegas, haver opinião em comum de que não haverá solução política para o conflito, cabendo aos ruralistas se defenderem com os próprios meios.

Reinaldo não entrou neste ponto da discussão. “Invasão é um desrespeito às leis, o governo não vai deixar de dialogar, mas vai exigir que se cumpra o estado de direito”, comentou.

O governador lembrou que desde janeiro é esperada decisão definitiva para o caso da região da Fazenda Buriti, em Sidrolândia. “Saindo a solução dessa (área), já dará um norte sobre como vai ser resolvida toda esta questão”, analisa.

A disputa de terras voltou à pauta de autoridades no começo da semana passada, quando indígenas entraram na Fazenda Madama, em Coronel Sapucaia, cone sul do Estado. Ruralistas se juntaram para tentar expulsar os índios e houve início de conflito, culminando com o envio, na sexta-feira (26), de tropa da Força Nacional à região.

Jornal Midiamax