Política

Puccinelli chega ao TJMS e afirma que não sabe de quem é testemunha

Ex-governador chegou acompanhado do advogado

Evelin Cáceres Publicado em 27/11/2015, às 12h00

None
foto_-_wendy_tonhati.jpg

Ex-governador chegou acompanhado do advogado

O ex-governador André Puccinelli (PMDB) é a primeira das 28 testemunhas arroladas pelo vice-prefeito afastado do cargo de prefeito Gilmar Olarte a chegar nesta sexta-feira (27) no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) para a audiência de julgamento e instrução do ex-líder do executivo municipal e de dois suspeitos de ajudá-lo nos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro: Ronan Feitosa e Luiz Márcio Feliciano.

Acompanhado do advogado, Puccinelli chegou por volta das 8h40 e afirmou não saber de quem é testemunha e nem do que se trata sua ida ao Tribunal, apesar do fato ser amplamente divulgado pela imprensa.

“Não sei do que se trata. Fui chamado como testemunha, mas vou saber agora do que e de quem”, afirmou, entrando no prédio.

O julgamento levará ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul alguns ex-aliados e inimigos políticos. Os desembargadores vão receber, entre outros, o ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PTB), prefeito Alcides Bernal (PP) e o vereador Mario Cesar (PMDB).

No total, 28 pessoas são esperadas para depoimentos. A vice-governadora Rose Modesto estava na lista, mas conseguiu adiar o depoimento dela para 22 de janeiro de 2016. Esta também será a data do depoimento de quem não comparecer hoje.

Segundo Ministério Público Estadual, o trio deve responder por lavagem de dinheiro e corrupção passiva por ter trocado cheque em branco por promessas de cargo e outras vantagens na Prefeitura de Campo Grande.

Jornal Midiamax