Política

Olarte vai ao TJ reclamar de vazamento de pedido de prisão

Gaeco solicitou ontem pedido de prisão de Olarte e João Amorim 

Heloísa Lazarini Publicado em 29/09/2015, às 16h15

None
olarte_13.jpg

Gaeco solicitou ontem pedido de prisão de Olarte e João Amorim 

O advogado do prefeito afastado Gilmar Olarte, Jail Azambuja, esteve na manhã desta terça-feira (29) no Tribunal de Justiça para pedir investigação sobre suposto vazamento de informações sigilosas dos processos que englobam operações Lama Asfáltica e Coffee Break.

Ontem (28) no início da noite, foram divulgadas pela imprensa local informações sobre pedido do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) à Justiça para que Olarte e Amorim sejam presos e 17 vereadores da Câmara Municipal sejam afastados.

Olarte e Amorim são investigados por participação no esquema, que envolve, supostamente, compra de votos de vereadores, para cassar mandato do prefeito Alcides Bernal (PP), em março de 2014. Além do prefeito afastado e de João Amorim, dono da Proteco Construções Ltda., o Gaeco também investiga envolvimento de João Baird, proprietário da Itel Informática no caso.

A Polícia Federal interceptou conversas telefônicas, gravadas com autorização judicial durante Operação Lama Asfáltica, em que Baird e o empresário Fabio Portela Machinsky contam quantos vereadores votariam pela cassação e fazem “conta de 22 vereadores, mas que poderia ser 23”.

Diante do resultado das operações, a Justiça autorizou no dia 25 de agosto deste ano o afastamento do presidente da Câmara, vereador Mario Cesar (PMDB) e de Gilmar Olarte. No mesmo dia, o Tribunal de Justiça decidiu pela volta de Alcides Bernal à Prefeitura.

Jornal Midiamax