Política

Manifestantes pró-impeachment alegam crise e protestam à distância

Dilma estará nesta sexta em Três Lagoas

Jessica Benitez Publicado em 29/10/2015, às 21h19

None
dilma.jpg

Dilma estará nesta sexta em Três Lagoas

Os manifestantes pró-impeachment de Campo Grande não vão para Três Lagoas durante a visita da presidente da República, Dilma Rousseff (PT), na manhã desta sexta-feira (30). De acordo com o médico Marco Aurélio Jajah, que faz parte dos movimentos contra corrupção, todos trabalham e têm dívidas a pagar e, por isso, terão que protestar da Capital.

“Dívidas, inflação comendo pelos pés. Bem que gostaríamos de ir, mas a situação não permite. A Dilma está acabando com o Brasil, mas teremos que protestar daqui mesmo. Infelizmente”, disse. No entanto, podem haver protestos locais como ocorreu em Campo Grande em fevereiro deste ano, quando ela inaugurou a primeira unidade da Casa da Mulher Brasileira.

A presidente chega ao aeroporto de Três Lagoas às 9h e será recepcionada pelo governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), entre outras autoridades e forte esquema de segurança como é feito em todos os eventos públicos em que a petista está.

Desta vez a visita será para acompanhar o lançamento da pedra fundamental do projeto Horizonte 2, executado pela Fibria, empresa do ramo de processamento de celulose. Este é um dos maiores investimentos privados do país e contará com a construção de uma segunda linha de produção na cidade.

Com isso, a fábrica será uma das maiores do mundo no segmento. Cerca de 500 operários já atuam na terraplanagem, mas estima-se que, ao todo, deverão ser gerados até 40 mil empregos diretos e indiretos no pico da obra. Já em funcionamento, a segunda linha deverá processar até 1,75 milhão de toneladas de celulose ao ano, o que aumentará a capacidade total da unidade três-lagoense para três milhões de toneladas/ano.

Jornal Midiamax