Política

Mais dois vereadores confirmam adesão à base de Bernal

Meta da semana, segundo secretário, é ampliar base

Guilherme Cavalcante Publicado em 11/10/2015, às 21h02

None
cury.jpg

Meta da semana, segundo secretário, é ampliar base

A odisseia do prefeito Alcides Bernal (PP) para aumentar seu apoio na Câmara dos Vereadores está longe do fim. No entanto, o tempo parece estar favorável a mudanças, já que alguns nomes recém-integrados ao corpo de vereadores anunciaram apoio ao prefeito. Com pouco mais de 40 dias como vereador, Eduardo Cury (PT do B), que assumiu uma cadeira na Câmara após Paulo Pedra (PDT) ser nomeado titular da Segov (Secretaria Municipal de Governo e Relações Institucionais), confirmou ao Jornal Midiamax que integra, sim, a base aliada do prefeito.

“Acho que ser chamado de base neste momento é justo. No entanto, eu sou mais que isso, sou uma pessoa com compromisso com Campo Grande. Então, tudo o que precisar ser votado para tirar a cidade desta situação, Bernal tem meu apoio”, disse. “Não consigo enxergar nenhuma razão para virar as costas para ele ou Campo Grande, no sentido de criar dificuldades em medidas que beneficiem a cidade”. Cury foi nomeado coordenador do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) por Gilmar Olarte, que comandou Prefeitura entre 13 de março de 2014 e 25 de agosto de 2015, quando foi afastado do cargo de prefeito pela Justiça. 

Quem também se posicionou de forma semelhante foi o vereador Betinho (PRB). “Quero trabalhar por Campo Grande, que vive uma crise sem precedentes. Então, é uma satisfação para mim apoiar o p no que for melhor para a cidade. Estou inteiramente à disposição dele. Só quero que esse apoio seja revertido em resultados”, declarou. “Falo isso por mim, mas creio que ele (Bernal) deva afinar alguma conversa com o partido que resulte em alguma parceria mais assumida”, concluiu.

No último sábado, Paulo Pedra afirmou que a meta para a semana que se inicia é estreitar o diálogo com vereadores de forma a conquistar a maioria na Câmara. Até ontem, o prefeito dispunha do apoio declarado apenas de Luiza Ribeiro (PPS), Cazuza (PP) e José Chadid (sem partido).

A base de Bernal, mesmo com novos aliados, ainda é menor que conquistada no primeiro ano de mandato, em 2013. O prefeito perdeu apoio da bancada do PT, que semanas depois de seu retorno à Prefeitura, se declarou independente. O partido, que apoiou Bernal decidiu abandonar o barco alegando falta de diálogo com Bernal. 

Jornal Midiamax