Política

Líder do PSB diz que quer voltar a MS com ‘prefeita da Capital já eleita’

Partido reúne correligionários neste sábado 

Midiamax Publicado em 11/07/2015, às 14h15

None
img-20150711-wa0073.jpg

Partido reúne correligionários neste sábado 

“Espero voltar a Mato Grosso do Sul com a prefeita da Capital já eleita”, disse o secretário nacional sindical do PSB, Joilson Cardoso, durante encontro do partido em Campo Grande, na manhã deste sábado (11). Além de defender candidatura da deputada federal Tereza Cristina, ele disse que a legenda “não vai censurar ninguém” que quiser entrar na disputa eleitoral em 2016.

“Quanto mais candidatos a gente conseguir emplacar, melhor. Não vamos censurar ninguém, até militantes que queiram ser candidatos a vereador ou prefeito, vamos apostar”, diz Cardoso. Na visão dele, a disputa eleitoral nos municípios em 2016 “já é pavimento para 2018”.

O dirigente nacional citou que o PSB precisa “honrar o legado de Campos”, referindo-se ao candidato do partido à Presidência em 2014, Eduardo Campos, morto em acidente aéreo no começo de agosto. “Ficou um vazio político no Brasil. Ficamos arrasados”, discursou Cardoso, falando que a posterior derrota de Marina Silva, que assumiu a campanha, “foi a segunda maior dor em pouco tempo”.

Além de Tereza Cristina, outros potenciais candidatos do partido a prefeituras são o deputado estadual Barbosinha, para Dourados, e o ex-conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado), José Anselmo dos Santos, em Cassilândia.

PSB e Dilma

Cardoso disse aos correligionários que o partido adota postura de independência em relação ao governo de Dilma Rousseff (PT). “É muito fácil ser oposição na crise, difícil mesmo é apontar o lado negativo e reconhecer o positivo, como fazemos”.

O encontro do PSB reúne os membros do partido neste sábado no Sindjus (Sindicato dos Servidores do Judiciário), região do Parque dos Poderes, na Capital.

Jornal Midiamax