Política

Isolada, vereadora tenta emplacar movimento ‘Reage Campo Grande’

Carla Stephanini é única da bancada do PMDB que se declara independente

Jessica Benitez Publicado em 18/06/2015, às 17h40

None
carla_stephanini.jpg

Carla Stephanini é única da bancada do PMDB que se declara independente

Isolada na missão viabilizar Comissão Processante contra o prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), a vereadora Carla Stephanini é a única do PMDB que declarou oficialmente independência em relação ao Executivo Municipal. Nesta quinta-feira (18), às 17h30, ela, que é presidente do diretório municipal e do PMDB Mulher, se reúne na sede da executiva que comanda para promover o ato “Reage Campo Grande”.

A vereadora tem usado redes sociais para divulgar o encontro. A peemedebista também auxilia a organização de ‘adesivaço’ marcado para o próximo sábado (20), às 10h, no centro da cidade.

Hoje, a bancada do PMDB é a maior da Câmara Municipal com sete integrantes, entre eles o presidente da Casa de Leis, Mario Cesar, e o líder interino do Executivo, Edil Albuquerque, que até tentou entregar a função, mas diante do impasse sobre a processante ainda não achou substituto. Também são da sigla os legisladores Paulo Siufi e Loester Nunes, ambos são médicos e ajudaram o secretário Municipal de Saúde, Jamal Salem, a desenhar a composição da pasta.

A orientação da executiva regional é de que todos declarem independência, mas cada um optou por tomar posicionamento individual. Tanto que, nas reuniões convocadas por Carla para discutir a situação da municipal, Siufi e Loester geralmente não comparecem. A dirigente nunca foi favorável a participação oficial da legenda na administração de Olarte desde que ele tomou posse do Paço, em março de 2014. À época o prefeito chegou a cogitá-la para liderar a Secretaria da Mulher, mas discretamente houve negativa.

Agora, já independente, a vereadora se juntou à oposição em busca da aprovação da Comissão Processante. As diferenças partidárias com o PT até foram jogadas para escanteio, uma vez que a bancada petista, composta por Thais Helena, Marcos Alex e Ayrton Araújo, também está empenhada em tirar o poder do pepista. “Nosso prefeito já teve tempo e apoio suficiente, teve oportunidade para mostrar a que veio, mas não correspondeu”, avalia.

Jornal Midiamax