Política

Fiscais de renda solicitam a parlamentar de MS que MP 660/2014 seja aprovada sem emendas

Deputada federal Teresa Cristina (PSB) se reuniu com sindicato da categoria 

Midiamax Publicado em 02/04/2015, às 23h46

None
1381ad798ba3e20691c17b4e4cf7c8fa.jpg

Deputada federal Teresa Cristina (PSB) se reuniu com sindicato da categoria 

A deputada federal Tereza Cristina (PSB) recebeu na quinta-feira (2) três representantes da delegacia do Sindicato dos Fiscais de Rendas – Sindifisco Nacional, que solicitaram apoio em Brasília quanto à resolução do impasse referente a duas emendas acolhidas no relatório final da Medida Provisória 660/2014.

O texto da MP 660 garante a servidores dos ex-territórios do Amapá e de Roraima o direito a optarem pela permanência nos quadros de pessoal da União. As emendas 40 e 41 – solicitadas pela categoria para serem suprimidas da MP – tratam das atribuições dos ocupantes dos cargos de auditores e analistas da Receita Federal do Brasil. O texto legitima que analistas desempenhem funções antes exclusivas de auditores.

A deputada Tereza Cristina pretende auxiliar a categoria na luta pela retirada das emendas na MP. “Vamos receber os representantes do Sindicato em Brasília e fazer a ponte com as lideranças dos partidos para que entendam quais são as necessidades dele”, afirmou Tereza.

De acordo com presidente da Delegacia Sindical de Mato Grosso do Sul, Fabio Galízia Ribeiro de Campos, o apoio de todos os deputados federais é fundamental para que seja abolido o texto das emedas na aprovação da Medida Provisória já que deverá ser votada e colocada para apreciação do plenário da Câmara Federal. “Viemos pedir a deputada Tereza Cristina que interceda com a liderança de seu partido e com os deputados para que essas emendas sejam retiradas do texto final que compartilha com outros segmentos as nossas atribuições. São emendas que não condizem com a MP e que prejudicam nossa categoria”, detalhou Fabio Galízia.

A medida teve relatório integral aprovado pela maioria dos parlamentares em comissão mista no último dia 31 de março.  Com a aprovação, a MP segue para apreciação da Câmara dos Deputados e, se aprovada, ainda passará pelo Senado Federal e pela sanção presidencial.

A reunião contou ainda com a presença dos auditores Luiz Antônio Craveiro e Hugo de Oliveira.

Jornal Midiamax