Política

‘Fantasma’ de Bernal impede PMDB e aliados de se afastar de Gilmar Olarte

Vereadores temem reflexos negativos com saída do prefeito que chegou ao cargo com ajuda deles

Midiamax Publicado em 25/02/2015, às 10h11

None
bernal.jpg

Vereadores temem reflexos negativos com saída do prefeito que chegou ao cargo com ajuda deles

Mesmo com pedido de lideranças o PMDB anunciou que não deve se afastar do prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP). Dos sete vereadores, seis já disseram que continuam na base de sustentação do partido, ainda que lideranças como o deputado Eduardo Rocha (PMDB) e Carlos Marun (PMDB) entendam que o partido deveria se afastar do atual gestor.

A justificativa para a permanência pode ser explicada na declaração do líder do partido na Câmara, vereador Vanderlei Cabeludo (PMDB). Ele detalha que o partido teve votos na cassação de Alcides Bernal (PP) e agora precisa ajudar Olarte pelo bem de Campo Grande.

A expressão “pelo bem de Campo Grande” é usada pela maioria dos vereadores peemedebistas e é o mesmo termo usado na época que eles decidiram cassar Bernal. Todavia, agora eles falam em ajudar Olarte pelo bem de Campo Grande.

Além de peemedebistas, outros vereadores, que preferem não se identificar, revelam que a Câmara gostaria de afastar o atual prefeito, mas teme que o resultado seja ainda mais negativo, visto que eles ajudaram o atual prefeito a chegar ao comando e sentem-se responsável por tudo o que está acontecendo.

O próprio presidente da Câmara de Campo Grande, Mario Cesar (PMDB), admite que há insatisfação com a gestão do atual prefeito. Ele afirma que nas ruas já é possível ver o clamor da população, que pede atitude da Câmara. “A sociedade quer que nós façamos alguma coisa. A cobrança é latente”, declarou.

Apesar de quase todos dizerem que são da base, vereadores do PMDB insistem em dizer que o partido não tem participação no governo, mas sim indicações pessoais, além do apoio para governabilidade. Eles se referem às indicações de Paulo Siufi (PMDB) para o IMPCG e Secretaria de Saúde e de Edil Albuquerque (PMDB) para a Sedesc.

Além dos cargos indicados pelos vereadores ainda consta na lista o mandato do vereador Dr. Loester (PMDB). Ele é suplente e só ocupa a vaga de vereador porque Olarte indicou Jamal para a Saúde. O vereador explicou que mantém o compromisso de ser base justamente por isso.

Alcides Bernal foi cassado por 23 dos 29 vereadores da Câmara de Campo Grande. Ele tentou voltar ao cargo por via judicial, mas até o momento não conseguiu. O ex-prefeito acusa os vereadores de armar um golpe contra ele e insiste em dizer que Olarte também será derrubado para que Mario Cesar assuma. 

Jornal Midiamax