Política

Faltando cerca de 20 dia para acabar prazo, CPI ainda não ouviu outras gestões

Apuração pode ser estendida por mais um mês

Jessica Benitez Publicado em 13/07/2015, às 21h08

None
cpi.jpg

Apuração pode ser estendida por mais um mês

Faltando menos de um mês para acabar o prazo inicial da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) das Contas Públicas, nenhum integrante das gestões dos ex-prefeitos de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB) e Alcides Bernal (PP), foi convidado a participar de oitiva. Até agora apenas secretários e diretores da administração de Gilmar Olarte (PP) foram inquiridos pelos vereadores e nenhum resultado prévio foi divulgado. 

A ideia do presidente da comissão era findar os trabalhos dentro dos 90 dias previstos para CPI, mas diante da grande demanda de informações e pouco tempo hábil os legisladores poderão estender o prazo por mais um mês, totalizando 120 dias. A investigação abrange de janeiro de 2011 a abril de 2015 e tem como objetivo traçar diagnostico financeiro da Capital. Ainda não esta descartada a convocação dos ex e atual chefes do Executivo.

A próxima oitiva ocorre na próxima quarta-feira com a diretoria-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) Elizabeth Felix. Hoje era para ser o novo comandante da Semadur (Secretaria Municipal de Ambiente Urbano) Valdir Gomes, mas foi transferida para o dia 05 de agosto por questões de agenda.

Já passaram por oitiva os secretários de saúde Jamal Salem; Administração e então interino de Educação, Wilson do Prado; o diretor-presidente da Funsat, Cícero Ávila; diretor-presidente da Funesp (Fundação Municipal de Esporte), José Eduardo Amâncio da Mota, o Madrugada; e a diretora-presidente do IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande), Lilliam Maria Maksoud Gonçalves.

Até agora mais de 200 mil folhas de documentos foram enviadas à Comissão, mas o presidente, vereador Eduardo Romero (PTdoB), disse que muitas estão repetidas e outras não contém o que foi solicitado, por isso os resultados das oitivas servirão para fazer cruzamento de dados e chegar ao resultado verdadeiro da saúde financeira da Capital. Para auxiliar os legisladores uma assessoria técnica especializada em contabilidade foi contratada pelo Legislativo. 

Jornal Midiamax