Política

Deputada de MS é diagnosticada com epilepsia e pede orações nas redes sociais

Grazielle Machado já está em tratamento

Jessica Benitez Publicado em 08/10/2015, às 18h59

None
grazielle.jpg

Grazielle Machado já está em tratamento

A deputada estadual Grazielle Machado (PR), filha do ex-presidente da Assembleia Legislativa, Londres Machado, foi diagnosticada com epilepsia. As convulsões começaram em março deste ano, quando ela ainda estava grávida do segundo filho, mas foi após lançamento do Festival de Bonito, no dia 31 de julho, quando passou mal no palco da solenidade, que a doença foi confirmada. Ela já está sob tratamento com medicação, mas não pediu licença médica da Assembleia Legislativa.

“Vou seguir com o trabalho até quando eu conseguir, mas com todos os cuidados porque o remédio é muito forte e eu posso sofrer convulsão a qualquer momento como foi em Bonito”, contou à equipe do Jornal Midiamax. A parlamentar, que completa 35 anos em dezembro, ressaltou que não se sabe o que desencadeou a doença, que afeta o sistema nervoso. Ela fez questão de dizer que não foi detectado nenhum tumor, que pode estar relacionado a alguns casos da doença.

Nesta quinta-feira (8), a deputada pediu orações por meio do Facebook. “Tenho tido problemas difíceis e sérios de saúde. Peço aos meus amigos que orem por mim. Agradeço a Deus pelos bons momentos que Deus me proporcionou e sei que todas as coisas são da vontade do Senhor. Bom dia!”, publicou.

No ano passado, Grazielle fez campanha eleitoral por todo o Estado e foi eleita ao Legislativo. Até então, ela ocupava cadeira na Câmara Municipal de Campo Grande onde desempenhava terceiro mandato.

Família – Em setembro de 2012, o pai da deputada, o ex-deputado Londres Machado foi diagnosticado com câncer, à época ele tinha 70 anos e era deputado estadual. A quimioterapia ocorreu no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo capital, referência neste tipo de tratamento. O linfoma, um tipo de câncer que atinge o sistema linfático, era do tipo “folicular, indolente e de baixa agressividade”. Atualmente o ex-parlamentar está bem.

Jornal Midiamax