Política

Dagoberto reclama, mas confirma ‘passe-livre’ para Beto

'Melhor sair este tipo de pessoa'

Jessica Benitez Publicado em 20/11/2015, às 21h17

None
dagoberto_0.jpg

'Melhor sair este tipo de pessoa'

O deputado federal e presidente regional do PDT sul-mato-grossense, Dagoberto Nogueira, mantêm anuência à saída do deputado estadual Beto Pereira da sigla sem requisição do mandato, mesmo após o presidente nacional, Carlos Lupi, declarar que reivindicará a cadeira na Assembleia Legislativa. Para ele é melhor ter pessoas “deste tipo” fora da legenda.

Diante da divergências das executivas, Dagoberto acredita que somente com intervenção judicial o 'passe-livre' será impedido. “Eu não sei muito bem sobre essa questão judicial, não sei se a nacional pode pedir (o mandato), só vamos ver quando ele (Beto) arrumar outro partido”, explicou. Em seguida justificou o motivo de não querer briga com o correligionário.

“Eu mantenho (anuência) porque não quero discutir com gente que não quer ficar no partido, melhor sair esse tipo de pessoa que já deu problema, que não tem disciplina partidária, então melhor sair logo”. Por outro lado, disse compreender o posicionamento da executiva nacional.

“Entendo porque logicamente que os dirigentes ficam revoltados. Ajudamos o cara pra caramba e no outro dia ele já tinha traído o partido, tomado outra decisão. Agindo como se o partido não tivesse importância”. Lupi esteve na manhã desta sexta-feira em Campo Grande para encontro do PDT. “Não sei como está a questão regional, mas o nacional não libera ninguém. A gente segue o estatuto sobre fidelidade partidária e entendemos que o mandato é do partido. Não basta essa autorização regional porque o Ministério Público, a direção nacional e o suplente podem requerer a vaga. Se ele sair, pode sim perder o mandato”, opinou.

Futuro – Embora não tenha oficializado nada, Beto compareceu à filiação do deputado federal Elizeu Dionízio ao PSDB e foi amplamente abordado. À época até o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), falou durante discurso que o deputado “se Deus quiser se juntará ao ninho”.

Jornal Midiamax