Política

CPI do Combustível tem 14 assinaturas e deve começar ainda este ano

Esta será a terceira apuração simultânea na Casa

Jessica Benitez Publicado em 27/10/2015, às 17h17

None
barbosinha.jpg

Esta será a terceira apuração simultânea na Casa

A Assembleia Legislativa deve abrigar simultaneamente sua terceira CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito). Desta vez a proposta é do deputado estadual José Carlos Barbosa (PSB) para investigar o aumento no valor do combustível em Mato Grosso do Sul e conta com 14 assinaturas, número suficiente para instaurar a apuração.

Os objetos a serem averiguados são quatro: gasolina, diesel, etanol e possível formação de cartel. De acordo com o proponente “há documentação farta o bastante para justificar a abertura da CPI”. A intenção é que a comissão, assim que formalizada, consiga quebra de sigilo fiscal das distribuidoras e postos de combustíveis.

Mesmo com pouco mas de um mês para o recesso parlamentar de fim de ano, Barbosinha acredita que os trabalhos comecem ainda em 2015 com solicitação de mais documentos, bem como com requerimentos e, em 2016, segue com oitivas, por exemplo.

Até o início de dezembro outra CPI pode ser aprovada na Casa de Leis. Isso porque o deputado Paulo Corrêa (PR), junto com outros colegas, reúne informações para pedir a CPI da Energia que substituiria a CPI da Energisa/Enersul barrada na Justiça sob alegação de falta de objeto. Estão em andamento as comissões do Cimi e do Genocídio, ambas são pautadas pelo conflito entre indígenas e ruralista por conta da demarcação de terras.

Jornal Midiamax