Política

Alex cobra reajuste da ACP e diz que não é vereador para agradar o prefeito

Vereadores criticaram falta de atitudes de Bernal

Evelin Cáceres Publicado em 06/10/2015, às 15h43

None
alex.jpg

Vereadores criticaram falta de atitudes de Bernal

Marcos Alex (PT) que chegou a se dispor a ser o líder do prefeito Alcides Bernal (PP) na Câmara usou a tribuna nesta terça-feira (6) para disparar contra o líder do executivo municipal cobrando o reajuste dos professores e comentou que não tem necessidade de agradar o prefeito.

O vereador disse que a conversa sobre reajuste está silenciada tanto pelo executivo municipal como pelos professores representados pela ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública) e pediu providências, já que Bernal prometeu que pagaria aos professores.

“Nós temos representatividade, aprovamos a lei 5.411 (que estabelece o reajuste) para que ela seja cumprida, seja na gestão do Gilmar Olarte ou do Alcides Bernal. Não estou aqui para agradar o prefeito”, ressaltou.

O comentário foi seguido por críticas até mesmo a retirada dos adesivos do movimento de greve dos carros do prefeito e do secretário de governo Paulo Pedra. Chiquinho Telles (PSD), que declarou que ele mesmo verificou a ausência dos adesivos e chamou Bernal de ex-prefeito por duas vezes, corrigindo-se na terceira: “prefeito, desculpa, momentaneamente”.

Chiquinho e Carlão (PSB) não creditaram a fala de Alex a um possível remorso pela falta de cargos do PT na administração de Bernal. “Alex sempre foi um político coerente, não está mudando de lado. Nós apoiamos a causa dos professores e queremos o cumprimento da lei”, afirmou Carlão.

Luiza Ribeiro (PPS), destacou que o projeto foi mudado por Gilmar Olarte e que, mesmo ela e Alex sendo oposição à época, aprovaram o novo projeto. “Nós recebemos o balanço da prefeitura e podemos ver que o problema não está na receita, que tem pouca variação, mas na má aplicação dos recursos”.

A Câmara deve entrar em contato com o presidente da ACP para saber das negociações. Nesta quarta-feira (7), também está previsto o prosseguimento da ação na Justiça.

Jornal Midiamax