Política

Sem maioria, grupo de Bernal pode utilizar oposição para evitar erros anteriores

O líder do prefeito Alcides Bernal (PP) na Câmara de Campo Grande, vereador Alex do PT, reunirá na próxima semana os oito vereadores da base de sustentação do prefeito. A reunião tem por objetivo discutir a divisão das comissões permanentes da Casa e fazer uma avaliação das condições de trabalho do grupo, bem como da […]

Arquivo Publicado em 25/01/2013, às 12h18

None
1644462234.jpg

O líder do prefeito Alcides Bernal (PP) na Câmara de Campo Grande, vereador Alex do PT, reunirá na próxima semana os oito vereadores da base de sustentação do prefeito. A reunião tem por objetivo discutir a divisão das comissões permanentes da Casa e fazer uma avaliação das condições de trabalho do grupo, bem como da estratégia a ser adotada para trazer mais aliados.

A base de sustentação de Bernal tem hoje os vereadores Cazuza (PP), Valdeci Chocolate (PP), Zeca do PT, Alex do PT, Ayrton do PT, Luiza Ribeiro (PPS), Rose Modesto (PSDB) e João Rocha (PSDB). O número é bem inferior aos 20 que não declararam apoio e preferem compor a oposição ou ficar no lado independente, que também beira a oposição.

Embora aposte na conquista de novos aliados, a equipe de Bernal já analisa os benefícios que podem ser adquiridos com a forte oposição que pode enfrentar. Eles avaliam que a blindagem da oposição não permitirá que o prefeito aprove projetos com equívocos, como ocorreram na administração passada.

“O Nelsinho (ex-prefeito Nelsinho Trad –PMDB) tinha uma base cozinhada e nem precisava de empenho para aprovar qualquer projeto. Um projeto reprovado pode ser aperfeiçoado, trabalhado e até acompanhado por vereadores. Não podemos correr riscos de aprovar coisas que vão gerar transtornos”, avaliou o vereador, ressaltando projetos aprovados pela base de Nelsinho: “Veja os problemas com a licitação do lixo, inspeção veicular”, acrescentou.

O líder de Bernal esclarece que não pretende “encontrar um céu de brigadeiro na Casa”, mas aposta nas atitudes do prefeito. “Se for pegar os 25 dias de administração dele você verá que tem muito mais pontos favoráveis do que contrários”, avaliou.

Jornal Midiamax