Política

Prefeitura pode ter pago combustível que abastecia carros particulares de vereadores

A 2ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social da Comarca de Ponta Porã instaurou, na semana passada, um Inquérito Civil para apurar suposta prática de improbidade administrativa por meio do abastecimento de carros particulares de vereadores de Laguna Carapã à custa dos cofres públicos do município. Por conta da suspeita, a […]

Arquivo Publicado em 17/12/2013, às 12h03

None
148776500.jpg

A 2ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social da Comarca de Ponta Porã instaurou, na semana passada, um Inquérito Civil para apurar suposta prática de improbidade administrativa por meio do abastecimento de carros particulares de vereadores de Laguna Carapã à custa dos cofres públicos do município.

Por conta da suspeita, a promotora de Justiça Patrícia Icassati Almirão chegou a requisitar ao presidente da Câmara Municipal, Militão Miranda de Melo (PSD), cópia de todas as requisições expedidas em favor de vereadores que tiveram seus automóveis particulares abastecidos, cujos pagamentos eram realizados pelo município de Laguna Carapã.

Ela também solicitou informações ao dono do posto onde os veículos eram abastecidos (Auto Posto Catucho Ltda.), Irineu Cassol, sobre o modo e controle do abastecimento de veículos particulares dos vereadores. Ela quer saber quais documentos eram requisitados para se comprovar que o abastecimento estava sendo feito em razão das funções da vereança.

Foram ainda notificados para comparecer em audiência pública o dono do posto de combustíveis e outras três pessoas: Nilton Espindola, Rogério Lima de Farias e Antônio Manoel Peralta de Oliveira Vieira.

Outro lado – O presidente da Câmara Municipal, Militão Miranda de Melo (PSD), afirmou ao Midiamax desconhecer o abastecimento de veículos de vereadores à custa da prefeitura.

“Quando vai viajar a serviço, a Câmara paga a despesa do vereador com o combustível”, disse.

Ele confirmou ter recebido a notificação da promotoria e explicou que ainda está no prazo de 15 dias para responder.

Jornal Midiamax