Política

Em protesto à suposta exclusão, base de Bernal abre mão de cargos e oposição vibra

Com ampla maioria na Câmara, a oposição não cedeu à presidência de nenhuma das 14 comissões aos aliados do prefeito, que decidiram abandonar a sessão

Arquivo Publicado em 19/02/2013, às 17h41

None
2047510121.jpg

Com ampla maioria na Câmara, a oposição não cedeu à presidência de nenhuma das 14 comissões aos aliados do prefeito, que decidiram abandonar a sessão

Por considerar injusta a divisão de espaço nas comissões da Câmara Municipal, a base aliada do prefeito Alcides Bernal (PP) abriu mão dos cargos e decidiu abandonar a sessão desta terça-feira (19). Em resposta, os vereadores da oposição comemoram com abraços, apertos de mão e trocaram parabéns.


Líder do prefeito na Casa de Leis, o vereador Alex do PT disse que a oposição não cedeu à presidência de nenhuma das 14 comissões para representantes da base de Bernal. Na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a mais importante da Câmara, o plano era abrir apenas uma das cinco vagas ao grupo. 


“Nossas bancadas foram excluídas, discriminadas e alijadas”, disparou o Alex do PT. “Fomos tratorados e não recebemos nenhum espaço político, foi tudo com carta marcada”, emendou. Dos 29 vereadores, nove compõe a base do prefeito. Pela lógica, o número garantiria pelos menos um terço das vagas nas comissões.


Com ampla maioria, a oposição não cedeu aos apelos dos aliados do prefeito. Segundo o vereador Airton Saraiva (DEM), na busca por apoio na eleição da Mesa Diretora, o espaço nas comissões teria sido usado como moeda de troca.“Não podemos ceder mais espaço, porque na hora de montar a chapa para disputar à presidência acordarmos isso com os partidos”, confessou Saraiva.


Presidente da Câmara, o vereador Mário César (PMDB) tentou minimizar a polêmica e garantiu que a oposição estaria disposta a abrir mais espaço aos aliados do prefeito. “Temos problemas só em cinco das 14 e tentamos dar mais espaço”, disse.


A discussão chegou a suspender a sessão por quase uma hora. Sem consenso, os vereadores reiniciaram os trabalhos. Na ocasião, o vereador Zeca do PT anunciou que o partido abriria mão do espaço nas comissões em protesto à suposta divisão injusta. A decisão foi acompanhada por vereadores do PSDB, PPS, PP e PSL.


Na sequência, o grupo informou deixar a sessão. “É constrangedor participar da sessão para ver os outros ocupar cargos”, justificou Zeca. Com o comando total das comissões, os vereadores da oposição comemoram. As vereadoras Grazielle Machado (PR) e Carla Stephanini (PMDB) se abraçaram. Saraiva e Vanderlei Cabeludo (PMDB) bateram mão e os demais se cumprimentaram.

Jornal Midiamax