Política

Delcídio espera aliança do PR e PDT com Nelsinho, mas afirma que não está preocupado

O senador Delcídio do Amaral (PT) não está mais contando com o apoio do PDT e do PR no arco de alianças dele para a eleição de 2014. Na manhã deste sábado (5), durante filiação do deputado Lauro Davi ao PROS, o senador declarou que pelo que tem acompanhado, os dois partidos devem seguir com […]

Arquivo Publicado em 05/10/2013, às 15h32

None

O senador Delcídio do Amaral (PT) não está mais contando com o apoio do PDT e do PR no arco de alianças dele para a eleição de 2014. Na manhã deste sábado (5), durante filiação do deputado Lauro Davi ao PROS, o senador declarou que pelo que tem acompanhado, os dois partidos devem seguir com o PMDB, de Nelsinho Trad.

“Na minha leitura, eles vão acompanhar o PMDB. Falo isso pelo movimento que estamos vendo. Mas, olha minha cara de preocupado”, ironizou. “Resumindo, é mais do mesmo”, acrescentou.

Delcídio chegou a se reunir com os presidente estaduais do PR, Londres Machado, e do PDT, João Leite Shimidth, mas não conseguiu tirá-los do comando do governador André Puccinelli (PMDB), de quem são aliados, embora sem grande retorno. Antes de deixar o comando do PDT, Dagoberto Nogueira chegou a procurar Puccinelli para reclamar da falta de espaço do partido no governo e exigir cargos, mas não teve o pedido atendido.

Quando assumiu, Shimidth deixou claro que o PDT não estava atrelado a ninguém. Ele chegou a fizer a Nelsinho Trad, durante reunião do partido com o pré-candidato, que ele não tinha cumprido nada do que combinou com o partido. Caso se confirme a aliança com o PMDB, o novo presidente terá contribuído pouco com a mudança defendida pelos filiados, já que Dagoberto já tinha atrelado o partido ao PMDB antes de Shimidth assumir.

No PR o apoio ao PMDB também não é uma unanimidade. O deputado Paulo Corrêa (PR) sempre deixou claro que prefere apoiar Delcídio. O apoio ao PMDB é defendido pelo deputado Antônio Carlos Arroyo, que espera garantir uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE), prometida quando Puccinelli traiu ele para apoiar a ex-senadora Marisa Serrano.

Jornal Midiamax