Política

Câmara orienta rodízio e só dois vereadores fecham as portas no primeiro dia de recesso

A maioria dos vereadores da Câmara de Campo Grande está atendendo a orientação do presidente, Mário César (PMDB), e fazendo um rodízio de funcionários para que a população não fique sem atendimento no período de recesso parlamentar, que vai de hoje (17) ao dia 31 de julho. Na Câmara, no final da manhã, por volta […]

Arquivo Publicado em 18/07/2013, às 17h52

None
1282119965.jpg

A maioria dos vereadores da Câmara de Campo Grande está atendendo a orientação do presidente, Mário César (PMDB), e fazendo um rodízio de funcionários para que a população não fique sem atendimento no período de recesso parlamentar, que vai de hoje (17) ao dia 31 de julho.

Na Câmara, no final da manhã, por volta das 11 horas, o movimento era bem tímido, com alguns assessores andando pelos corredores. Dos 29 vereadores, apenas dois estavam com as portas fechadas quando a reportagem passou pelos gabinetes: Vanderlei Cabeludo (PMDB) e João Rocha (PSDB).

Nos gabinetes os assessores falaram que vão fazer rodízio, mas nenhum dos entrevistados declarou quantos estarão trabalhando diariamente. Os assessores também não informaram se os vereadores estarão nos gabinetes diariamente, quando estarão ou se conseguirão atender as demandas antes do fim do recesso.

Pelo regimento da Câmara, as sessões acontecem de 2 de fevereiro a 17 de julho e de 1º de agosto a 22 de dezembro, o que totaliza 56 dias de recesso, sendo 41 dias de folga no começo do ano e 15 dias no meio do ano. Apesar da recomendação da presidência, ninguém é obrigado a deixar os gabinetes abertos no recesso.

Durante a visita a reportagem também conseguiu confirmar a promessa dos integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Câncer, que asseguraram que vão passar o recesso trabalhando para terminar de averiguar os documentos e escutas enviados pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Os cinco integrantes da CPI, Cazuza (PP), Alex do PT, Coringa (PSD), Carla Stephanini (PMDB) e Flávio César (PTdoB) passaram a manhã fazendo uma avaliação das oitivas já realizadas e definindo os próximos passos da CPI, que pretende fazer uma acareação entre os antigos e atuais diretores do Hospital do Câncer.

Jornal Midiamax