Política

Vereadores defendem aumento de salário de Bernal para não prejudicar servidores

Presidente da Câmara, Paulo Siufi (PMDB), informou que ainda não definiu o valor do reajuste salarial do prefeito eleito, todavia, Siufi confidenciou que vereadores já fizeram a proposta de reajustar o salário do próximo prefeito em 15%

Arquivo Publicado em 20/12/2012, às 14h23

None

Presidente da Câmara, Paulo Siufi (PMDB), informou que ainda não definiu o valor do reajuste salarial do prefeito eleito, todavia, Siufi confidenciou que vereadores já fizeram a proposta de reajustar o salário do próximo prefeito em 15%

Vereadores discutem na Câmara Municipal de Campo Grande discutem na manhã desta quinta-feira (20), sobre o aumento dos vencimentos do prefeito eleito de Campo Grande Alcides Bernal. Os servidores da Casa foram convocados para votarem a favor do aumento.

Os vereadores defendem o reajuste para não prejudicar os demais servidores. A sessão foi suspensa, porém os vereadores não revelaram o motivo.

Nesta quarta-feira, o presidente da Câmara, Paulo Siufi (PMDB), informou que ainda não definiu o valor do reajuste salarial do prefeito eleito, todavia, Siufi confidenciou que vereadores já fizeram a proposta de reajustar o salário do próximo prefeito em 15%.

Conforme vereador, a iniciativa é do legislativo, porém o prefeito eleito deve se posicionar a respeito do aumento.

“Como ele (Alcides Bernal) já se manifestou contrário ao aumento, os vereadores vão decidir, pois os servidores dependem do aumento do prefeito para ter o seu reajuste.”. 26 %

O vereador Mario César (PMDB) defendeu aumento de 61% ao novo prefeito, o que faria com que saísse dos atuais R$15 mil para R$ 25 mil. “Este aumento igualaria o valor que é pago a outros municípios do Estado como Nova Andradina e Três Lagoas.”

Mário César reforçou ainda que desde 2006, não há reajustes para o prefeito de Campo Grande.

Segundo o vereador, hoje um secretário municipal recebe R$ 8.400 bruto, um adjunto ganha R$ 10.400 e as fundações, R$ 11 mil. “Essa política é antiga, por isso os secretários aprovaram o congelamento de salários do Nelsinho.”.

Bernal

Alcides Bernal já declarou que não pretende solicitar reajuste salarial. Todavia, a Câmara estuda dar o reajuste para não prejudicar 26 categorias que afirmam que serão prejudicadas com o congelamento. Segundo o Sindicato dos Auditores da Receita Municipal, as categorias estão sem reajuste desde 31 de dezembro de 2004, o que já soma uma perda de 72%.

Na reunião com Nelsinho na manhã desta quarta os vereadores chegaram a questionar o atual prefeito sobre quanto deveria ser dado de reajuste e Nelsinho não quis dar palpite. “Isso não é comigo. Não é para mim o aumento”, justificou o prefeito. Atualmente Nelsinho Trad recebe R$ 15 mil.

Jornal Midiamax