Política

Puccinelli afasta racha no PMDB e anunciará candidato a prefeito nos próximos dias

O PMDB deve apresentar na sexta-feira (2) pesquisa de opinião pública aos três pré-candidatos a prefeito de Campo Grande, mas o anúncio do escolhido sairá apenas no decorrer do próximo mês. “Março tem 31 dias”, ponderou o governador André Puccinelli (PMDB) hoje, durante solenidade na governadoria. Ele ainda rebateu falas da oposição sobre suposto racha […]

Arquivo Publicado em 29/02/2012, às 18h54

None

O PMDB deve apresentar na sexta-feira (2) pesquisa de opinião pública aos três pré-candidatos a prefeito de Campo Grande, mas o anúncio do escolhido sairá apenas no decorrer do próximo mês. “Março tem 31 dias”, ponderou o governador André Puccinelli (PMDB) hoje, durante solenidade na governadoria. Ele ainda rebateu falas da oposição sobre suposto racha entre as lideranças peemedesbistas. “O PMDB está monobloco”, garantiu.


Até o fim desta semana, segundo Puccinelli, o processo de escolha do candidato “começa a clarear”. “Vamos ver pesquisas, ter conversas com os três pré-candidatos e, no mês de março, se define tudo”, assegurou. Querem representar o grupo do governador e do prefeito Nelsinho Trad (PMDB) na disputa pelo comando da prefeitura da Capital, os deputados federais Edson Giroto (PMDB), Luiz Henrique Mandetta (DEM), além do vereador Paulo Siufi (PMDB).


No início desta semana, Nelsinho sinalizou a possibilidade de anunciar o nome do candidato antes do próximo sábado (3). Segundo ele, isso seria possível caso as pesquisas apontassem o favoritismo de um dos três pré-candidatos. Do contrário, o anúncio seria adiado para antes da Páscoa. Puccinelli, no entanto, manteve a promessa de revelar o nome ainda em março.


Racha


Na opinião de petistas, a escolha do candidato do PMDB irá rachar o partido. Para eles, o fato de o grupo de Nelsinho preferir a indicação de Mandetta e, Puccinelli a escolha de Giroto vai enfraquecer o empenho das lideranças na corrida por votos. A oposição também prevê reação negativa por parte de Siufi, na possibilidade de ser descartado da disputa eleitoral. Como exemplo da discórdia, os petistas citam a debandada de integrantes do PMDB Jovem para o PT.
Em reposta, o governador mandou os petistas cuidarem de sua vida e emendou: “eu só cuido do PMDB e dos partidos que se predispuseram a estarem dentro do conceito. O PMDB está monobloco”.


Sobre a declaração do presidente regional do PMDB, Esacheu Nascimento, que afastou a escolha de Mandetta como candidato por ser de outro partido, Puccinelli repetiu que “preferencialmente (o candidato) será do PMDB, mas não obrigatoriamente”.


Dourados


Em relação à possibilidade de o PMDB romper com o prefeito de Dourados, Murilo Zauith (PSB), para lançar candidato próprio, o governador avisou nortear sua decisão por meio de pesquisas de opinião pública. “O povo é quem decide”, disse. No município, os deputados federais Geraldo Resende e Marçal Filho, além da vereadora Délia Razuk são pré-candidatos a prefeito pelo PMDB.


Jornal Midiamax