Política

Para Bernal, pesquisa prova que a ‘paciência do povo se esgotou com a prepotência’ dos poderosos

Liderando a pesquisa de intenção de voto para a Prefeitura de Campo Grande, o candidato Alcides Bernal (PP) se diz animado com a campanha e acredita que o resultado das intenções de voto que somam 32% a seu favor demonstra que a população “está inteirada e acompanhando os acontecimentos”. “A paciência do povo esgotou. Estão […]

Arquivo Publicado em 23/07/2012, às 13h08

None
128921384.jpg

Liderando a pesquisa de intenção de voto para a Prefeitura de Campo Grande, o candidato Alcides Bernal (PP) se diz animado com a campanha e acredita que o resultado das intenções de voto que somam 32% a seu favor demonstra que a população “está inteirada e acompanhando os acontecimentos”.


“A paciência do povo esgotou. Estão cansados da arrogância, da prepotência e do dinheiro dominarem o Estado. A população quer mudança”, acredita Bernal. Segundo ele, Campo Grande está bonita em alguns lugares, mas a saúde e o trânsito estão caóticos, as tarifas e os impostos estão caríssimos. “A saúde financeira do campo-grandense é boa pra ter problemas tão primários como a saúde e o trânsito”, disse.


Em relação a pesquisa, Bernal afirma que são índices demonstrativos do que vê nas ruas. “Tenho apoio popular. Em todo lugar que vou encontro incentivo e respaldo para a minha campanha. As pessoas me falam que tão cansadas e que eu devo seguir em frente”, afirmou.


Sobre como será sua campanha e como fará para conquistar mais aprovação popular, Bernal disse que conta com o apoio da liderança nacional do PP e do senador Dornelles que virá para reforçar sua candidatura.


Além disso, o candidato disse que continuará se esforçando, mostrando à população seus projetos políticos, realizando caminhadas, visitas em bairros e tudo o que puder fazer para driblar ‘os poderosos’ que segundo ele, querem de todo jeito tirá-lo da disputa eleitoral. “Tentaram me tirar da campanha, me isolar, fiquei quase sem candidatos, sem partidos aliados, mas não tiraram a minha vontade e nem a vontade do povo”, frisou.

Jornal Midiamax