Política

No debate, Bernal questiona sobre moralidade e Giroto se descontrola e foge da resposta

Candidato do PMDB não deu explicação sobre o processo conhecido como Operação Vintém, em que é réu e o procurador-geral da República pede sua condenação

Arquivo Publicado em 27/10/2012, às 05h12

None
1987327854.jpg

Candidato do PMDB não deu explicação sobre o processo conhecido como Operação Vintém, em que é réu e o procurador-geral da República pede sua condenação

Depois de uma campanha de quase três meses recheada de ataques à candidatura de Alcides Bernal (PP) com vídeo montado na internet, com panfletos apócrifos e ameaças, o candidato governista Edson Giroto (PMDB) reclamou de ser colocado contra a parede e acabou se irritando ao ser questionado sobre moralidade, em debate quente da TV Morena, afilhada da Rede Globo em Mato Grosso do Sul.



Bernal indagou Giroto sobre a Operação Vintém prevista para ser julgada em breve no Supremo Tribunal Federal (STF); sobre por que o governista diz ser autor das coisas boas da administração do PMDB e foge da responsabilidade quando os problemas são abordados; perguntou sobre a licitação bilionária do lixo feita no apagar das luzes e também quis saber a causa de Giroto ser protagonista no governo e não resolver os problemas na saúde.



Apesar de abrir o debate dizendo que o adversário foge das respostas e, inclusive, de debates, Giroto não conseguiu explicar os questionamentos de Bernal. Ele preferiu mudar o tema sobre moralidade e questionar sobre a saúde, transporte, educação, temas não menos importantes, mas discutidos em diversos debates realizados no primeiro turno e nos primeiros blocos do debate da noite de sexta-feira.



Em meio a propostas, ironias e ataques marcam o primeiro bloco



Por sorteio, Bernal iniciou o primeiro bloco do debate. A pergunta escolhida para o adversário foi sobre quais serão as ações dele com o servidor público municipal. Giroto destacou que os bons tempos exigem uma ação moderna e, por isso, ele implantará o PCC (Plano de Cargos e Carreiras) com salários dignos.



 “Vou melhorar o salário dos servidores para que um serviço de qualidade seja oferecido”. Ele afirmou que pretende realizar concursos públicos, aumentar o número de médicos, construir novas creches e “garantir que todos os servidores já contratados, não percam o emprego, mas permaneçam nos seus trabalhos”.



Na réplica, Bernal comentou que o servidor público é sempre o primeiro a receber críticas quando os serviços não são realizados com boa qualidade, “quando na verdade o problema é do gestor que não administra os recursos de forma planejada”.

A primeira pergunta do candidato governista começou ironizando a presença de Bernal no debate. Em seguida, ele questionou a proposta do adversário quanto ao asfaltamento das ruas de Campo Grande.


Em resposta, Bernal garantiu que fará tudo o que a administração peemedebista não fez em 16 anos no poder. “Vamos fazer o que não fizeram. Não vamos conceber que tapas buracos continuem e não vamos permitir que bairros antigos sejam abandonados”.



Para substanciar o projeto de asfaltamento nas ruas de Campo Grande, Bernal destacou a visita do ministro das Cidades Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), na terça-feira (23).  “O ministro das Cidades esteve aqui em um dia de debate, pra termos a garantia de recursos próprios e do governo federal pra asfaltarmos os bairros”. O progressista ainda emendou dizendo que não permitirá “tapa buraco fantasma como a administração atual vem fazendo”.



Criticando a resposta de Bernal, Giroto ressaltou o que pretende fazer quanto ao asfaltamento. “Vou recapear 2.500 quadras, vamos fazer três milhões de asfalto, vamos asfaltar muitos bairros”, assegurou.



Atento, Bernal utilizou da resposta de Giroto para atacá-lo. “O candidato chapa branca certamente conhece os números bem, porque foi secretário de obras e sabe muito bem do débito da população. Se podia fazer, porque não fez nos 10 anos que esteve na secretaria?”, criticou.  



A segunda pergunta de Bernal foi sobre a guarda municipal. “Quantas viaturas existem na guarda municipal e como foram adquiridas. O senhor sabe ou não sabe?”.



Sobre o assunto, o governista disse que pretende melhorar o salário, construir um quartel da guarda municipal e viabilizar novas viaturas, “para que a guarda municipal tenha condições de proteger os cidadãos”.



Após a resposta do adversário, Bernal garantiu que a guarda municipal será valorizada e não sofrerá mais descaso do governo. “O seu governo desprezou a guarda municipal e não vamos permitir isso. Como está não pode continuar”, pontuou.



Se sentindo atacado, o peemedebista ressaltou que não é o prefeito e aproveitou para pedir votos.


Na quarta pergunta do primeiro bloco, Giroto falou sobre o programa de governo de Bernal. Segundo ele, a proposta do oposicionista de médicos em todos os postos de saúde 24 horas por dia não ficou clara. Ele indagou Bernal de como isso será realizado.



Bernal lamentou que o problema principal de Campo Grande é a saúde, principalmente porque o município é administrado por dois médicos, “padrinhos chapa branca de Giroto”. Ele criticou a falta de mais de 400 médicos e a construção de postos de saúde, sem abertura de concursos públicos para a inclusão de profissionais.

Após reclamar que sua pergunta não foi respondida, Giroto comentou sobre suas propostas que vão desde a construção de mais postos de saúde até a contratação de mais médicos. “Vamos construir mais postos, contratar mais médicos e garantir serviços humanizados”.



Para melhorias na área, Bernal comentou sobre a reunião que teve com o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) e com o ministro da Saúde Alexandre Padilha, onde foram discutidas ações, como a construção de um Hospital Municipal.



Bernal denuncia falta de ética na campanha



Desta vez, quem iniciou as perguntas foi o peemedebista. Os temas foram sorteados e Giroto perguntou para o adversário sobre o que ele pretende fazer para promover o lazer na Capital.

Bernal disse que descentralizará, levando aos bairros atrações de cultura e esporte, conciliadas com o lazer. “Praças públicas serão revitalizadas para que as famílias tenham aonde levar seus filhos com segurança e tranquilidade”, disse.



Sem responder ao tema, Giroto aproveitou para atacar o opositor. Ele comentou sobre o apoio que Bernal recebeu de alguns políticos, como Paulo Maluf (PP-SP). O peemedebista intencionou com a declaração, ligar seu adversário a pessoas que tenham tido alguma relação com escândalos políticos.



Respondendo a Giroto, Bernal aproveitou para atacá-lo. “O senhor se especializou em agressões, na falta de ética como fez em toda a campanha”, criticou. “Limite-se ao tema para tratarmos de propostas para o melhor de Campo Grande”, pediu.



Na pergunta seguinte, Bernal questionou Giroto sobre suas ações na área da saúde, enquanto secretário de obras do município. “Você diz que sua administração será voltada para a saúde e sempre afirma que sua atuação foi grande até mesmo com o vale renda. Se era assim porque o senhor não fez o que tinha que ser feito?”, perguntou.



Giroto respondeu dizendo que na época que foi secretário de obras a demanda era construir postos de saúde, mas que agora a situação mudou. Desta forma, ele disse que pretende melhorar o atendimento, para ser considerado o prefeito da saúde.



Bernal aproveitou para dizer que investirá na prevenção e assumiu o compromisso de contratar mais médicos, de construir o Hospital Municipal e de dar melhor atendimento às pessoas. Na tréplica, o peemedebista disse que é um dever do prefeito atender bem e que só sendo eleito é que poderá responder pelo atendimento na saúde.



A terceira pergunta foi sobre o transporte. O candidato governista indagou Bernal de como ele pretende melhorar o transporte público e de como vai fazer para baixar a tarifa. 



O progressista garantiu que vai abrir a “caixa preta”. De acordo com ele, a planilha de gastos na área nunca foi apresentada pelo Poder Executivo. Com o documento em mãos, Bernal afirmou que descobrirá a “gordura”, para só depois rever e baixar a tarifa que é a segunda mais cara do Brasil.


Como propostas, o candidato da oposição disse que implantará um sistema integrado de transporte e que colocará mais ônibus, para que o “sistema funcione com qualidade em favor dos usuários”.  Giroto disse que promoverá a qualidade no atendimento para aumentar o número de usuários para só depois baixar a tarifa.



Escolas de tempo integral foram o tema da quarta pergunta da segunda rodada. Bernal questionou qual é a proposta de Giroto sobre o assunto. O candidato governista disse que construirá cinco unidades em cada região de Campo Grande. Além disso, ele afirmou que implantará o “Centro Coração de Mãe” para que as crianças não fiquem com tempo ocioso no restante do dia. 



Afirmando que a educação é a porta de entrada das soluções dos problemas da sociedade, Bernal disse que haverá democratização na escolha dos diretores e que em sua gestão, “os Ceinfs (Centros de Educação Infantil) até as escolas profissionalizantes serão prioridade”. Ao frisar que atualmente Campo Grande é a segunda Capital melhor avaliada no ensino fundamental, Giroto destacou que construirá mais 30 Ceinfs e, com isso, irá zerar o déficit de vagas para crianças.



A hora da verdade



Giroto começou o terceiro bloco, questionando Bernal de como ele fará para congelar o IPTU. “O senhor tem apoio de dois candidatos que defendiam o congelamento do IPTU, o senhor fará isso como?”, perguntou. Bernal afirmou que irá rever essa questão tributária e que não admitirá que aumentos abusivos continuem a acontecer como o governo peemedebista permitiu. “Chega de beneficiar meia dúzia de milionários, vamos fazer justiça”, clamou.



Dizendo não ter entendido a resposta, Giroto destacou que o prefeito “justo” vai rever. “Eu vou rever e abaixar o IPTU”, prometeu. Reclamando da agressividade do candidato da situação, Bernal reafirmou que irá rever, para que acabe os abusos com os campo-grandenses. Ele ainda frisou que a proposta está registrada em seu plano de governo.



Na segunda pergunta, Bernal aproveitou para destacar o processo contra Giroto que está para ser julgado no STF (Supremo Tribunal Federal). “Existe um processo no STF que pode exigir a sua função se o senhor for condenado, isso ocorrendo o seu vice (Dagoberto Nogueira-PDT), terá condições de assumir?”,questionou.



Demonstrando preocupação com a pergunta, Giroto disse não acreditar na atitude de Bernal. Ele comentou que o momento era para se discutir propostas e sem responder à pergunta do candidato da oposição, o peemedebista começou a agradecer ao povo pela oportunidade de estar disputando a Prefeitura de Campo Grande. 



“Agradeço a vocês a oportunidade de estar aqui”, disse fugindo da pergunta.



Percebendo a atitude do adversário, Bernal denunciou as perseguições que sofreu durante toda a campanha. “Quando Giroto faz agressões não tem problema. Fez vídeos forjados, sujou a cidade com pichações contra mim, noticias inverídicas foram espalhadas e quando falo de fato verídico ele se sente agredido”, analisou. 



Planejamento Urbano foi o assunto da pergunta de Giroto. Em relação a isso, Bernal afirmou que haverá profissionais preparados para realizar o planejamento da cidade e alfinetou o governo, que segundo ele, tem realizado obras mal-feitas. Giroto disse que ouvirá a população e que após vistoria da equipe técnica, haverá um planejamento para só depois serem executadas as obras, “sempre com transparência”.



A última pergunta do debate foi feita pelo progressista e se tratava de resíduos sólidos. Dizendo não ter entendido direito a pergunta, Giroto comentou que promoverá a educação ambiental nas escolas para que as crianças aprendam a separar o lixo. “Com o aproveitamento do lixo, darei desconto no IPTU e essa separação diminuirá o aterro, o que será benéfico para a cidade e o meio ambiente”.



Bernal alfinetou a resposta de Giroto dizendo que a “fala é bonita, mas a realidade é outra”. Ele destacou a matéria da última edição da revista Istoé que expõe a fatura da licitação de lixo em Campo Grande. “A reportagem afirma que o prefeito aprovou uma licitação para seu sobrinho no valor de R$ 1,8 bilhão para os próximos 25 anos e isso não vamos permitir”.



Novamente irritado, Giroto disse não ter entendido o que Bernal disse com o assunto da questão. “Não consigo entender, viemos aqui para debater. Falei do descarte, tentei entender sua pergunta e o senhor vem falar de revista? Ah, tenha dó candidato”.



Considerações finais



No final do debate os candidatos fizeram suas considerações finais. Bernal comentou sobre a resposta de Giroto na última pergunta e pediu votos. “Quando falo de temas importantes, falo de honestidade, lisura, ética. Quando questiono tais temas é porque a população quer e tem o direito de saber”, frisou. 



“Sou candidato a prefeito para valorizar a democracia, fazer uma administração responsável que privilegie as pessoas, transformando o município em um local onde as pessoas serão ouvidas e respeitadas. Por isso, peço o seu voto neste domingo (28), vote 11, com a força da nossa gente”, acrescentou.



Giroto iniciou sua fala agradecendo sua equipe. “Agradeço a todos pelo carinho e peço que me deem a oportunidade de ser prefeito para uma cidade mais justa. Agradeço a Deus por estar aqui e no domingo (28), vote 15, vote Giroto”, pediu.










Jornal Midiamax