Política

Delcídio acusa Puccinelli de agir para tentar desmontar arco de aliança do PT

Senador confia em construir um amplo arco de aliança em torno da pré-candidatura do deputado federal Vander Loubet (PT) a prefeito de Campo Grande

Arquivo Publicado em 15/06/2012, às 13h23

None
1438201909.jpg

Senador confia em construir um amplo arco de aliança em torno da pré-candidatura do deputado federal Vander Loubet (PT) a prefeito de Campo Grande

O senador Delcídio do Amaral (PT) está confiante em construir um amplo arco de aliança em torno da pré-candidatura do deputado federal Vander Loubet (PT) a prefeito de Campo Grande, mas não revelou os partidos para evitar o assédio dos adversários.


“Não posso falar se não o André corre atrás e tenta levar os meus aliados, é só eu falar que ele corre atrás”, disse o petista, referindo-se ao governador André Puccinelli (PMDB).


Segundo Delcídio, Vander está “trabalhando intensamente” para entrar com força na disputa eleitoral. “Acho que nessa reta final nós vamos garantir um arco de aliança bom para o Vander”, apostou.


Recentemente, o pré-candidato disse estar confiante em atrair o apoio do PSB, PRB, PSL e PCdoB. “São partidos que sempre marcharam alinhados conosco, pode, eventualmente, ter uma perda, um ou outro”, ponderou Delcídio.


Indagado se continua contribuindo para garantir a pulverização das candidaturas atraindo partidos para os demais pré-candidatos como o deputado estadual Alcides Bernal (PP), o senador apostou em surpresas na reta final das negociações.


“O Alcides está conversando com muita gente, porque, a despeito do que dizem, não está tudo fechado, está todo mundo conversando. Eu já vi camarada chegar dia 30 de junho e fechar com outro candidato. É como diz o velho Chacrinha o programa só acaba quando termina, então, esse negócio de aliança só fecha dia 30 de junho, fora isso o jogo está aberto”, frisou.


Também estão de olho na sucessão da Prefeitura de Campo Grande os deputados federais Edson Giroto (PMDB) e Reinaldo Azambuja (PSDB), os vereadores Athayde Nery (PPS) e Marcelo Bluma (PV) e o presidente regional do PSD, Antonio João Hugo Rodrigues.

Jornal Midiamax