Política

CPI é instalada e repórter agredida no MT registra novo B.O. contra vereador

A Câmara de Pontes e Lacerda (MT) instaurou, na última segunda-feira (05/07), uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a agressão do vereador Lourivaldo Rodrigues de Moraes (DEM), conhecido como Kirrarinha, contra a repórter Márcia Pache, da TV Centro Oeste-SBT. Após a instalação ser aprovada por unanimidade, a jornalista registrou novo boletim de ocorrência […]

Arquivo Publicado em 09/07/2010, às 11h29

None

A Câmara de Pontes e Lacerda (MT) instaurou, na última segunda-feira (05/07), uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a agressão do vereador Lourivaldo Rodrigues de Moraes (DEM), conhecido como Kirrarinha, contra a repórter Márcia Pache, da TV Centro Oeste-SBT. Após a instalação ser aprovada por unanimidade, a jornalista registrou novo boletim de ocorrência contra o vereador.


Márcia se diz intimidada e teme retaliações. “Eu assinei o documento para a abertura da CPI. Agora não sei o que pode acontecer. Hoje mesmo registrei um B.O. porque ele passou de carro muito devagar em frente a minha casa, e parou em frente a emissora em que trabalho, que fica na mesma rua”, relatou a jornalista.


A repórter diz que não teme por sua vida, mas pela de seus filhos. “Eu fiz isso por meus filhos. Ninguém sabe o que uma pessoa desequilibrada pode fazer. Qualquer coisa que acontecer comigo ou com meus filhos a polícia já está sabendo”.


Na última semana, a repórter foi agredida pelo político com um tapa no rosto, e acabou se machucando ao cair no chão. A imagem foi gravada e o vídeo foi visto inúmeras vezes no YouTube. A jornalista foi surpreendida pelo vereador ao perguntar se o político poderia falar com a reportagem.


Entidades e jornalistas repudiaram a agressão. A CPI foi instaurada pela mobilização da Associação de Mulheres de Pontes e Lacerda (Ampla) e por jornalistas de veículos do Mato Grosso. Márcia também informou que a ONU enviou uma nota à Câmara, cobrando providências pela agressão. A CPI tem o prazo de 90 dias para apurar os fatos. Existe a possibilidade de o vereador ter o mandato cassado.


O vereador Kirrarinha não foi localizado pela reportagem. A assessoria de imprensa da Câmara Municipal de Pontes e Lacerda informou que desde segunda-feira (05/07) o político não comparece às sessões e não atende aos contatos do órgão.



Lorivaldo Rodrigues “Kirrarinha” Vereador do (DEM-MT) agride jornalista do SBT


Jornal Midiamax