Política

Com menos da metade da fortuna declarada por Puccinelli, Zeca esclarece patrimônio

Candidato do PT diz que recebeu indenização de R$ 500 mil e fez empréstimo de R$ 1,35 milhão no FCO para investir em aviário no interior: "não tem nada de clandestino no meu dinheiro"

Arquivo Publicado em 10/07/2010, às 16h45

None

Candidato do PT diz que recebeu indenização de R$ 500 mil e fez empréstimo de R$ 1,35 milhão no FCO para investir em aviário no interior: “não tem nada de clandestino no meu dinheiro”

O candidato do PT ao governo de Mato Grosso do Sul, Zeca do PT, também teve considerável crescimento no patrimônio que declarou ao TRE para registro da candidatura. Mesmo não chegando perto dos 5,37 milhões declarados por André Puccinelli, a riqueza do petista saltou de R$ 417 mil para R$ 2,3 milhões nos últimos oito anos.


“A diferença é que eu tenho como mostrar de onde vem meu dinheiro. Eu ganhei uma indenização de R$ 500 mil de um jornal na justiça, e ainda tenho um milhão e trezentos e cinquenta mil reais que recebi de um empréstimo do FCO para custear meu aviário”, explica Zeca do PT.


No mesmo dia em que a imprensa nacional deu destaque ao espantoso crescimento no patrimônio do governador e candidato à reeleição pelo PMDB, André Puccinelli, algumas redações de sites noticiosos do interior do estado receberam por email um texto falando sobre o crescimento patrimonial de Zeca. Alguns publicaram.


“Eu publiquei o que recebi aqui no meu email, mas acho que nem tem identificação de onde veio”, diz Orisvaldo Sales, editor responsável pelo website Portal do MS. Ele conta que publicou inclusive um gráfico que já chegou pronto com a representação da evolução patrimonial do petista e citou como fonte para o material apenas “Assessoria”.


O editor disse que não podia confirmar se a “Assessoria” era de algum dos candidatos, mas informou que tem o original do email. “Vou verificar certinho de onde veio e dou um retorno para vocês”, prometeu.


O website MS Aqui também confirma que recebeu o texto e o gráfico de ilustração já prontos por um email “usado pela assessoria”. O endereço utilizado para enviar o material para algumas redações foi [email protected]. A assessoria de imprensa da campanha do PMDB nega que tenha usado esta caixa de mensagens.


A legislação eleitoral declara que “é livre a manifestação do pensamento” por meio da rede mundial de computadores, internet. Mas é expressamente vedado o anonimato durante a campanha eleitoral, segundo os artigos 58 e 58-a da Lei 9.504/97.


“Nada a esconder”


Questionado sobre as informações, Zeca disse que não tem nada a esconder. “Posso falar tranquilo sobre meu patrimônio, porque não tem nada clandestino no meu dinheiro. Cada centavo tem a origem bem clara. O aumento maior foi depois que eu deixei o governo, por causa do empréstimo e da indenização, que juntos já somam R$ 1,85 milhão”, garante.


A assessoria do atual governador e candidato pelo PMDB, André Puccinelli, foi procurada para falar sobre uma reportagem publicada ontem (9) pela Revista Veja, mas disse que o peemedebista já havia entregue todas as informações ao TRE para registro da candidatura e não falaria mais sobre o assunto.

Jornal Midiamax