Polícia / Trânsito

‘Maio Amarelo’: 1ª semana tem aumento de 10% nos acidentes e 2 mortes

Entre as vítimas, está um bebê de 8 meses

Midiamax Publicado em 08/05/2017, às 18h36

None
e7240dc7-249e-4ebb-b278-1ca4700e800c.jpg

Entre as vítimas, está um bebê de 8 meses

A Prefeitura e o governo do Estado movem, juntos, campanha de enfrentamento à violência no trânsito, o Maio Amarelo. Este mês, no entanto, Campo Grande já bate recordes nos números de acidentes: 190 até o dia 7, 10% a mais do que no mesmo período em 2016. Além do aumento, o período registrou 2 mortes, quando, e em 2016 nenhuma foi contabilizada no mesmo intervalo de tempo.

Os números são ilustrados por um final de semana violento. No sábado (6), uma condutora de 39 anos, que não teve seu nome divulgado, capotou um veículo fiesta na Avenida Afonso Pena, de placa OMR-5403, por volta das 4h. O impacto arrancou um poste da e o veículo atingiu uma banca de revistas. A Polícia Militar de Trânsito a princípio foi chamada para atender a um acidente que teria acontecido após a motorista dormir no volante.

Para o comandante da BPTran (Batalhão de Polícia Militar de Trânsito), João Amorim, o aumento surpreendeu e mostra, entre outras características, a falta de uma cultura de cumprimento às regras.

“Infelizmente, nós tivemos um aumento em um período que não deveria. Nesse mesmo período não houve morte no ano passado. Mesmo com toda fiscalização vemos acontecer e pessoas sem habilitação, a moça que faleceu no acidente de motocicleta, o pai da criança [bebê de 8 meses que morreu em acidente] não tinha habilitação. Não existe uma mudança de cultura, precisamos mudar nosso comportamento frente às regras”, pontuou.

No domingo, um caso chocou e sensibilizou a sociedade na Capital, já que o acidente culminou na morte de um bebê de 8 meses na madrugada deste domingo (7), por volta das 2 horas, no cruzamento das ruas Yokoama e Palestina, no Jardim Palmira em Campo Grande.

Segundo a Polícia Militar, o pai do menino dirigia um veículo Uno, sem habilitação, e fugia de outro acidente quando perdeu o controle da direção e bateu em um Palio.

Motos representam maior causa de acidentes

Um motociclista, 23 anos, morreu ao supostamente bater em meio fio no cruzamento das ruas João Hernandes com Bilac Pinto, Bairro Parati, em Campo Grande. Outra pessoa ficou ferida. Dupla estava em Honda Fan vermelha, conforme boletim de ocorrência, quando teriam colidido contra o meio fio na noite de domingo (7). Ambas as vítimas foram ao chão, e jovem teria falecido em decorrência da queda.

O comandante acrescente que em 2016, as motocicletas estiveram presentes em mais de 50% das ocorrências de acidentes no trânsito.

“A fiscalização está constantemente provando que a falta de habilitação é uma das principais causas. Mas também as motocicletas, o ano passado foi um pouco mais de 50%, por mês de a casa 2 acidentes, um envolvia motocicleta. Se eles obedecessem as regras, tenho certeza que seria diferente, não está tendo essa prudência, estamos dirigindo de forma agressiva”, comentou. 

Jornal Midiamax