Polícia / Trânsito

Especialistas discutem formas de reduzir acidentes de trânsito em Mato Grosso do Sul

Autoridades relacionadas ao trânsito se reuniram ao longo desta segunda-feira (29), durante o I Seminário de Segurança no Trânsito para discutir propostas que visam reduzir em 50% o número de vítimas fatais no trânsito de Mato Grosso do Sul, até o ano de 2020. O consultor em Programas de Segurança no Trânsito, J. Pedro Corrêa […]

Arquivo Publicado em 29/10/2012, às 17h12

None
1884888851.jpg

Autoridades relacionadas ao trânsito se reuniram ao longo desta segunda-feira (29), durante o I Seminário de Segurança no Trânsito para discutir propostas que visam reduzir em 50% o número de vítimas fatais no trânsito de Mato Grosso do Sul, até o ano de 2020.

O consultor em Programas de Segurança no Trânsito, J. Pedro Corrêa foi um dos palestrantes. Ele abordou sobre um Programade Mudança no Comportamento do Trânsito, ações neste sentido, captação de recursos, planejamento, e prevenção. O palestrante espera que o programa seja implantado a partir de 2013 e com isso, tornar Campo Grande um exemplo a ser seguido.

“O trânsito já se tornou tema de governo. A presidente Dilma está convencida da importância disso e nós temos que executar projetos em busca de melhorias”, destacou, J. Pedro Corrêa.

Além disso, outros temas foram discutidos durante o encontro, como massificação da cultura de prevenção, foco no público alvo, ampliar as fronteiras de atuação da GGIT (Gabinete de Gestão Integrada de Trânsito) e ascensão hierárquica do Detran (Departamento Estadual de Trânsito), para nível de secretaria.

Outra proposta foi a implantação dos ACS (Agentes Comunitários de Saúde). “Temos 1200 Agentes de Saúde. Eles estão dentro dos nossos lares, é uma forma de difundir a consciência de prevenção no trânsito”, destacou Carlos Henrique dos Santos Pereira Diretor do Detran.

Estatísticas

O evento foi organizado pela Fenabreve/MS (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores de Mato Grosso do Sul), que congrega 103 das 117 concessionárias de motocicletas, automóveis, caminhões, ônibus e máquinas agrícolas do estado.

“A frota de Campo Grande gira em torno de 400 mil veículos, quase metade da população. O progresso é inevitável, mas infelizmente, a imprudência e o grande fluxo de veículos também refletem no aumento dos acidentes” contou o presidente da Fenabrave, Roberto Mosena.

Ele destacou que a Federação realiza campanhas neste sentido, já distribuíram de 500 a mil adesivos com três corações representando “Sinal da Vida”, com o slogan “Ligados num trânsito mais seguro”

Segundo o Ministério da Saúde, foram registradas 40.610 pessoas mortas em acidentes de trânsito no Brasil em 2010, quase 7,5% acima do computado em 2009. Em Campo Grande, conforme a Agetran (Agência Municipal de Transportes e Trânsito) acontecem 45 acidentes diários, sendo 20 com vítimas e 25 sem.

De acordo com Ivanise Rotta, Chefe de Divisão de Educação para o Trânsito da Agetran, apesar dos recentes casos de acidentes na Capital envolvendo vítimas fatais, só três neste fim de semana, houve uma queda nos índices.

As estatísticas indicam que de janeiro a outubro de 2011 foram registrados 112 mortos em razão dos acidentes, sendo que em igual período deste ano tivemos 103 mortos. Conforme Ivanise é uma redução de 8% devido às ações que já realizam como o Programa Vida no Trânsito.

Campo Grande está superando a meta nacional com este Programa, que é reduzir em 6% os acidentes. Mortes envolvendo motociclistas na Capital também tiveram uma queda, foram 72 mortes no intervalo de janeiro a outubro de 2011, e 66 neste ano.

“Com o nosso trabalho de campo, comprovamos que na maioria das ocorrências de acidentes em Campo Grande há registros de abuso do álcool, velocidade alta, faixa etária envolvendo 18 a 27 anos, e até menor”, destacou o Chefe de Comunicação Social dos Bombeiros, o Tenente Coronel Joilson de Paula.

O encontro foi considerado proveitoso por estimular a conscientização. Também estiveram presentes representantes do interior do estado, da Ciptran (Companhia Independente de Trânsito), do Cetran (Conselho Estadual de Trânsito) e o GGIT (Gabinete de Gestão Integrada de Trânsito)

Jornal Midiamax