Polícia / Trânsito

AGORA: começa audiência sobre acidente que deixou estudante de Direito em cadeira de roda

Começou há pouco a audiência judicial acerca do acidente de carro envolvendo a estudante de Direito Rayssa de Oliveira, 20, ocorrido em abril de 2009, em Campo Grande. O sobrinho de uma promotora de Justiça da cidade que, segundo familiares da acadêmica, teria motivado o acidente, também participa da audiência. Rayssa dirigia um Fiat, e […]

Arquivo Publicado em 27/01/2011, às 17h23

None

Começou há pouco a audiência judicial acerca do acidente de carro envolvendo a estudante de Direito Rayssa de Oliveira, 20, ocorrido em abril de 2009, em Campo Grande.

O sobrinho de uma promotora de Justiça da cidade que, segundo familiares da acadêmica, teria motivado o acidente, também participa da audiência. Rayssa dirigia um Fiat, e o rapaz, um Honda Civic no dia da batida.

O rapaz é acusado por omissão de socorro, lesão corporal e falta de habilitação.

A estudante quebrou uma das pernas, a bacia e também machucou a cabeça. Hoje, ela se recupera e se locomove em cadeira de roda. Já o rapaz nada sofreu e fugiu do local no dia do acidente.

Rayssa chegou ao fórum acompanhada do pai Valter Favaro, superintendente da PRF (Polícia Rodoviária Federal) e da mãe, Nara Favaro.

Na audiência de hoje, realizada 2ª Vara Criminal, 23 pessoas devem ser ouvidas, 17 das quais de defesa da acadêmica e seis testemunhas de defesa do rapaz que envolveu no acidente, Marcelo Olendzki Broch, sobrinho da promotoria de Justiça da cidade, Regina Broch.

A família de Rayssa acusa o rapaz de ter provocado a batida, ocorrida no cruzamento da rua Bahia com a avenida Mato Grosso.

O acidente ocorreu por volta das 5h30 minutos da manhã. Ela descia a rua Bahia, sozinha. Já o rapaz conduzia um Honda Civic e levava como passageiro um primo seu menor de idade, filho da promotora. Marcelo Broch não tinha carteira de habilitação.

Jornal Midiamax