Polícia

Sem reajuste há 7 anos, soldados da PM têm o 9º pior salário do país

Segundo presidente da Aspra, expectativa é que haja reestruturação de carreira em outubro deste ano

None
(Foto: Divulgação/ PMMS)

Com salário base inicial de R$ 3.354,00 soldados da PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul) têm o 9º pior salário do país, apontam dados da Aspra (Associação de Praças da Polícia Militar) e do Anuário Nacional de Segurança Pública de 2021, divulgado nesta quinta-feira (15).

O anuário aponta que, dos 23 estados que tiveram os dados divulgados, o pior é São Paulo, com remuneração de R$ 2574,66. No outro extremo está Goiás, com o valor de R$ 5800,40 mensais. Mato Grosso do Sul, contudo, não disponibilizou os dados por patente.

Entretanto, a Aspra tem como base o salário de 2020, que não sofreu alteração para 2021, e continua em R$ 3.354. Segundo o presidente da associação, Cabo PM Eduardo Ferreira dos Santos, o aumento não foi dado nem no último ano nem nos anteriores. “Infelizmente estamos há sete anos sem reajuste, tanto a PMMS quanto o BMMS. Temos uma promessa de reestruturação dos salários dos militares estaduais para acontecer até o fim de outubro de 2021 e ser implantado em janeiro de 2022, após terminar a vigência da lei federal que proíbe o reajuste”, afirma.

A LC (Lei Complementar) 173/20 foi sancionada no dia 28 de maio de 2020 pelo presidente Jair Bolsonaro e proibiu o reajuste salarial de servidores públicos municipais, estaduais e federais até 31 de dezembro de 2021. Segundo Ferreira, a “esperança” está na reestruturação de carreira da PMMS e BMMS. “A reestruturação é uma demanda antiga das associações e representa uma forma do Governo reparar a defasagem dos subsídios dos militares estaduais, de soldado a coronel”, afirma.

Além da valorização salarial, o presidente da Aspra explica que esperam que sejam atendidas demandas específicas da categoria, como a exigência de nível superior em qualquer área do conhecimento, para concurso de soldado. “Temos uma corporação da PM e do BM com nível intelectual altíssimo e com apresentação técnica de serviço à sociedade. Mais de 70% da tropa já tem nível superior, e as negociações já estão bem avançadas”, conclui.

Jornal Midiamax