Polícia

Promotoria quer julgamento de homem ligado a Minotauro acusado de matar Léo Veras

Denúncia foi apresentada sobre o investigado

Renata Portela Publicado em 29/04/2021, às 17h50

Waldemar, o 'Cachorrão', no dia em que foi preso
Waldemar, o 'Cachorrão', no dia em que foi preso - (Divulgação)

Nesta quinta-feira (29), a promotora paraguaia Alicia Sapriza apresentou denúncia contra Waldemar Pereira Rivas, solicitando julgamento oral contra o acusado. Conhecido como ‘Cachorrão’, Waldemar é apontado como pessoa ligada a Minotauro, liderança do PCC (Primeiro Comando da Capital) e acusado da morte do jornalista Léo Veras em 12 de fevereiro de 2020.

A denúncia foi apresentada após as investigações realizadas pela equipe formada pelos promotores Marcelo Pecci e Federico Delfino, da Unidade Especializada Contra o Crime Organizado, do Ministério Público de Pedro Juan Caballero. Conforme o site La Nacion, na noite do dia 12 de fevereiro, Waldemar e outros dois homens foram até a casa de Léo.

Os três estavam em um Jeep Renegade quando chegaram na residência, que fica localizada no Bairro Jardín Aurora, em PJC. O trio entrou na casa atirando contra o jornalista, que morreu no local após ser atingido pelos disparos de pistola 9mm. Ainda segundo o site local, Waldemar fazia parte de organização criminosa liderada por Minotauro.

Tal organização teria planejado e executado vários crimes em Amambay (PY) e também no Brasil.

Jornal Midiamax