Polícia

Sargento aposentado estava bebendo antes de matar a mãe de 72 anos em Campo Grande

Ele estava sendo cobrado pelo homem que era amigo da mãe

Renata Portela e Danielle Errobidarte Publicado em 08/12/2021, às 08h34

Briga e feminicídio aconteceram na casa da vítima
Briga e feminicídio aconteceram na casa da vítima - (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

A morte de Maria do Carmo Brasil, de 72 anos, na noite de terça-feira (7), teria acontecido após brigas com o filho, Edilson Nolasco, de 51 anos, por causa de dinheiro. O militar aposentado do Exército estava sendo cobrado por um valor que pegou com agiota e teria ameaçado a mãe de morte após o cobrador descobrir o endereço dele.

Irmã de Edilson e filha de Maria contou ao Jornal Midiamax que o irmão bebia todos os dias e passava na casa da mãe só para deixar roupas para lavar, às vezes para dormir. O outro irmão, de 45 anos, não trabalhava e vivia com a mãe para cuidar dela, a pedido da mesma.

Ainda segundo a filha da vítima, a mãe tinha pedido um dinheiro emprestado do agiota, que era amigo e a conhecia há tempos. O filho acabou pedindo também dinheiro emprestado, um total de R$ 3 mil. No dia 2 de dezembro, a idosa acertou a dívida, quando o agiota passou a cobrar o valor que o filho tinha pegado emprestado.

Edilson não estaria atendendo as ligações do cobrador e a mãe disse que, quando ele fosse até a casa dela, conversaria com ele. O agiota passou a insistir para que os familiares dessem o endereço do acusado, quando o irmão decidiu levar ele até a casa. No local, eles não foram recebidos por Edilson e o cobrador chegou a gritar e jogar pedras no local.

No dia seguinte, 3 de dezembro, o agiota novamente fez cobranças. Edilson foi até a casa da mãe e brigou com ela por ter deixado o homem ir até a residência dele cobrar a dívida. Neste dia, ele fez as primeiras ameaças à mãe, dizendo que a mataria, e ainda disse para o irmão apagar os contatos do telefone.

O acusado então ligou para o agiota e negociou pagar apenas os juros, de R$ 650. O homem aceitou, já que era conhecido da mãe do autor. No sábado, Edilson teria bebido novamente e foi até a casa da mãe, quando tocaram no assunto e houve uma nova briga entre os familiares. “Se não quer que te cobre, pague o que está devendo”, teria dito a mãe ao acusado.

Ainda antes do assassinato, o homem teria pegado R$ 300 emprestado, para comprar bebidas. Ele voltou à casa da família na noite desta terça-feira, quando discutiu e assassinou a mãe a facadas. O irmão também foi esfaqueado e socorrido, levado para a Santa Casa de Campo Grande.

O autor do crime tentou fugir, mas foi encontrado e detido por policiais do Batalhão de Choque. Ele responde pelo feminicídio e tentativa de homicídio.

Jornal Midiamax