Polícia

PF e CGU investigam corrupção em obra de Corumbá com verba federal

Fraude em licitação deflagrou Operação Independência nesta quarta-feira

Guilherme Cavalcante e Dayene Paz Publicado em 12/05/2021, às 08h01

PF cumpriu mandados em endereço chique
PF cumpriu mandados em endereço chique - Foto: Henrique Arakaki | Midiamax

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (12) a Operação Independência, que investigou atuação de empresa e funcionários públicos na prática de crimes previstos na lei de licitações e peculato. Mandados são cumpridos em Campo Grande e em Corumbá.

De acordo com a PF, 35 policiais federais, além de servidores da CGU (Controladoria-Geral da União), cumpriram 8 mandados de busca e apreensão na casa de empresários e funcionários públicos da Prefeitura Municipal de Corumbá vinculados à administração dos anos de 2013 a 2016.

Mais cedo, o Jornal Midiamax acompanhou cumprimento de mandado em endereço de luxo na Rua Antonio Maria Coelho, em Campo Grande, em endereço que seria ligado ao ex-prefeito de Corumbá, Paulo Duarte (MDB), que comandou a cidade no período investigado.

As investigações apontam que o grupo criminoso teria sido favorecido na celebração do procedimento licitatório, além de não ter entregue, ou ter entregue apenas em parte, a obra de reforma da Praça Independência, na cidade de Corumbá.

Os mandados expedidos pela Justiça Federal em Corumbá buscam reforçar os indícios de corrupção identificados até agora e individualizar a conduta de cada agente. Segundo a PF, investigados poderão responder pelos crimes de peculato (artigo 312, caput, segunda parte, do código penal) e frustração do caráter competitivo do processo licitatório (art. 90, da Lei nº 8.666/93).

Operação

O nome da operação faz referência ao Praça da Independência, objeto urbano centenário localizado no centro da cidade de Corumbá e que representa um ícone no paisagismo e na história da cidade.

Jornal Midiamax