Polícia

Pai e filhos transformam sonho da casa própria de clientes em pesadelo e deixam 4 no prejuízo

Eles vendiam para as vítimas imóveis financiados em seus nomes, mas com dívidas

Renan Nucci Publicado em 26/04/2021, às 17h11

None
Foto Ilustrativa

Um construtor de 63 anos e três filhos foram denunciados pelo MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) por estelionato, após deixarem pelo menos quatro pessoas com prejuízo estimado em R$ 500 mil na comercialização de imóveis. Eles são acusados de vender para as vítimas lotes em situação irregular, com dívidas acima de R$ 100 mil. Os fatos ocorreram em Três Lagoas, município distante 324 quilômetros de Campo Grande.

Em um dos casos, entre dezembro de 2014 e janeiro de 2015, o acusado e um dos filhos venderam um lote a um homem que desejava construir a casa própria. Na ocasião, firmaram dois contratos, um para a venda do terreno e outro para a construção da casa, no total de R$ 190 mil. Sendo assim, a vítima entregou a elas dois carros, um no valor de R$ 62 mil e outro avaliado em R$ 48 mil, sendo que o restante seria quitado em 80 parcelas.

No entanto, ao buscar a regularização, o homem constatou que o terreno estava embaraçado em nome do filho do construtor, com 145 prestações de R$ 1,3 mil a serem pagas, dentre as quais quatro delas estavam em atraso. Ainda em janeiro de 2015, deixaram no prejuízo uma mulher que, ao comprar um lote com eles, entregou três veículos avaliados em R$ 90 mil. O restante seria quitado em cerca de 90 parcelas. 

Porém, após pagar a entrada, a mulher descobriu que a construção não estava em andamento como o esperado e que o lote estava em nome de outro filho do investigado, com um financiamento de 179 parcelas de R$ 843 a serem quitadas. No terceiro caso, em dezembro de 2014, eles venderam um lote no mesmo local, em nome da filha do construtor, cujo financiamento estava com várias parcelas em atraso. No entanto, o comprador não sabia.

Esta vítima negociou o terreno por R$ 80 mil e deu R$ 15 mil de entrada. O golpe só foi descoberto após efetuar a transferência. O mesmo ocorreu com a quarta vítima, uma mulher que pagou R$ 100 mil e, ao buscar a regularização, descobriu haver 179 parcelas pendentes no valor de R$ 843, em nome de um dos filhos do construtor. Tanto ele, quanto os filhos foram denunciados por estelionato mediante alienação fraudulenta.

O caso tramita na 3ª Vara Criminal de Três Lagoas.

Jornal Midiamax