Polícia

Padrasto que estuprava menina de 4 anos ameaçando com espingarda é absolvido em MS

Segundo a Justiça não houve testemunha presencial de nenhuma atitude do acusado que pudesse caracterizar o abuso sexual

Thatiana Melo Publicado em 28/06/2021, às 09h55

None
(Ilustrativa)

Foi absolvido pela Justiça de Mato Grosso do Sul, um homem acusado de estuprar a enteada, que na época tinha 4 anos. A menina em relatos afirmou que o padrasto era violento e que tinha uma espingarda em casa.  

A absolvição foi publicada no Diário da Justiça desta segunda-feira (28). O crime aconteceu entre os anos de 2013 e 2016. Na denúncia foi apurado, à época dos fatos, que o denunciado aproveitava-se dos momentos a sós com a menina para beijá-la, passar seu órgão genital na criança.

A menina declarou em depoimento especial, que o padrasto a estuprou durante 3 anos, e disse que os abusos aconteciam dentro da sua casa e sua mãe nunca via. Contou que ele subia em cima dela, a fazia beijar a boca dele, e se esfregava nela. A criança afirma que passou três anos sofrendo os abusos e que tinha muito medo do padrasto, pois ele tinha uma espingarda e era violento.

Mas durante o decorrer do processo, testemunhas inquiridas em juízo não trouxeram elementos suficientes que tivessem o condão de levar a uma condenação, sendo que a primeira chegou a dizer que a vítima não ficava sozinha com o acusado.

A Justiça ainda afirmou faltar clareza nas palavras da vítima, sendo que não houve testemunha presencial de nenhuma atitude do acusado que pudesse caracterizar o abuso sexual, verificando-se que os indícios da ocorrência do crime que surgiram na fase policial não foram confirmados sob o crivo do contraditório e ampla defesa. 

Por isso, o homem acabou absolvido pela Justiça.

Jornal Midiamax