Polícia

Operação encontra arsenal que pode ter sido usado em execuções na fronteira de MS

Na casa, também foram encontrados galões usados no transporte de produtos químicos para o refino de cocaína

Thatiana Melo Publicado em 26/10/2021, às 05h47

None
(Foto: Ponta Porã News)

Uma operação deflagrada na noite dessa segunda-feira (25), pela polícia paraguaia, em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, encontrou um arsenal de guerra, além de carros que podem ter sido usados nas execuções do dia 9 de outubro, quando a filha do governador de Amambay foi assassinada.

Na casa, não havia ninguém, apenas, uma cama e todo o arsenal de guerra composto por fuzis, miras telescópicas, coletes balísticos, máscaras de silicone de meio corpo, além de várias munições usadas em fuzis e conversores de tiros “Kit Rony” — que converte uma arma Glock em uma arma compacta com capacidade de 100 disparos.

Com esta operação, a polícia paraguaia espera ter encontrado a ligação com pelo menos quatro crimes ocorridos em Pedro Juan Caballero. Durante a operação, ainda foram apreendidos um Chevrolet Cobalt e um SUV Santa Fé, o que leva a polícia a acreditar que os carros estejam envolvidos nos assassinatos de Luíz Mateo Armoa e Anabel Centurion — executados em uma choperia.

O Chevrolet Cobalt também teria sido visto no assassinato de Jorge Ortega, que foi morto no dia 27 de setembro, segundo o site Ponta Porã News. E o mesmo carro ainda foi apontado no atentado contra o vereador Nestor Ramon, no dia 30 de setembro, quando ele conversava com amigos após uma reunião política. 

Na casa, ainda foram encontrados vários galões usados no transporte de produtos químicos para o refino de cocaína. A polícia acredita que um dos carros apreendidos esteja ligado à chacina do dia 9 de outubro, quando a filha do governador de Amambay foi morta com vários tiros de fuzil. 

Jornal Midiamax