Polícia

Morto em confronto tinha passagem por roubo desde a adolescência

Theilor Tiago Sixtro Ferreira, de 20 anos, morto em confronto com o Batalhão de Choque da Polícia Militar na noite de segunda-feira (08), em Campo Grande, após assalto a um motorista de aplicativo, tinha passagem por roubo desde a adolescência. Ele, inclusive, usava tornozeleira eletrônica por medida cautelar em processo de crime de tráfico de […]

Renan Nucci Publicado em 09/02/2021, às 14h18

Arma, tornozeleira eletrônica e outros objetos apreendidos pelo Choque. Foto: Divulgação
Arma, tornozeleira eletrônica e outros objetos apreendidos pelo Choque. Foto: Divulgação - Arma, tornozeleira eletrônica e outros objetos apreendidos pelo Choque. Foto: Divulgação

Theilor Tiago Sixtro Ferreira, de 20 anos, morto em confronto com o Batalhão de Choque da Polícia Militar na noite de segunda-feira (08), em Campo Grande, após assalto a um motorista de aplicativo, tinha passagem por roubo desde a adolescência. Ele, inclusive, usava tornozeleira eletrônica por medida cautelar em processo de crime de tráfico de drogas.

Segundo a Polícia Civil, enquanto menor, o rapaz teve passagens por furto, roubo, dirigir sem CNH, porte de droga e furto qualificado. Quando adulto, teve passagem por roubo, porte ilegal de arma de fogo, tráfico de drogas e porte de drogas para consumo. Conforme já noticiado, o confronto ocorreu depois do assalto a um motorista de aplicativo.

O motorista teve o carro e o celular levados. Os policiais fizeram buscas para localizar os suspeitos, posteriormente identificados como Theilor e mais dois comparsas, um de 24 e outro de 27 anos. No bairro Mário Covas, na rua Florêncio José Pereira, eles foram encontrados. Na oportunidade, um dos criminosos atirou contra os militares que revidaram.

Theilor foi baleado, chegou a ser socorrido e morreu. Um quarto envolvido conseguiu fugir.

Jornal Midiamax