Polícia

Membro do PCC acusado de matar rival enforcado na Máxima é condenado

Ele cumprirá 19 anos de prisão

Renata Portela Publicado em 22/07/2021, às 17h21

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - (Arquivo, Midiamax)

Foi a júri popular nesta quinta-feira (22), Junior Fábio de Jesus Barbosa, de 30 anos, o ‘Mão de Pedra’, pelo homicídio de Edson dos Santos. O crime aconteceu no Presídio de Segurança Máxima, em 29 de dezembro de 2019, durante um tribunal do crime do PCC (Primeiro Comando da Capital).

Conforme apurado na época e denunciado pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), Junior e outros detentos teriam assassinado Edson e depois simulado um suicídio. O grupo é considerado do PCC e Edson seria do Comando Vermelho, facção rival.

Após ‘julgamento’ feito pelos faccionados, Edson foi atingido por vários golpes e depois enforcado com uma corda artesanal, por Junior. Depois, acabou pendurado na cela, como se tivesse cometido suicídio.

O corpo foi localizado de manhã, durante o confere e o caso foi investigado pela Polícia Civil, identificado como homicídio. No julgamento, o conselho de sentença decidiu por condenar Junior pelo homicídio qualificado, bem como por organização criminosa.

Ele deve cumprir ao todo 19 anos de reclusão em regime fechado, além do pagamento de 10 dias-multa.

Jornal Midiamax