Polícia

A mando de preso da Máxima, dupla fazia venda de drogas pelo WhatsApp

Droga era entregue aos clientes em um estacionamento de um supermercado, no bairro Santo Amaro

Thatiana Melo Publicado em 23/04/2021, às 08h35

None
(Ilustrativa)

Dois homens, senso um deles irmão de um detento do Presídio de Segurança Máxima, foram presos nesta quinta-feira (22), em Campo Grande por equipes da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), ao fazerem vendas de maconha, cocaína e ecstasy pelo sistema do disque-entrega.

Os policiais receberam a informação de que as drogas comercializadas eram entregues aos clientes em um estacionamento de um supermercado atacadista, no bairro Santo Amaro. Quando os investigadores chegaram ao local se depararam com Valdir de Oliveira, que estava em Volkswagen Fox, de cor preta.

No carro com Valdir foi aprendida uma sacola com 40 porções de maconha e três porções de cocaína. Ele disse que trabalhava para Elvis Salustiano dando a localização do ‘patrão’. Ao chegaram a casa de Elvis, os policiais o flagraram fazendo vendas pelo aplicativo WhatsApp.

Ele confessou o crime afirmando que fazia a vendas a mando de seu irmão que estava detido na Máxima, e que não estava tendo acesso a celular pedindo para que ele assumisse os ‘negócios’. Elvis contou que a função dele era anotar os pedidos pelo WhatsApp e repassar a Valdir para fazer a entrega.

Elvis ainda relatou que recebia pelo trabalho cerca de 7% das vendas, e que também costumava fazer anúncios de drogas pelo aplicativo de conversas. Vários petrechos foram apreendidos na residência, que o autor disse que seriam para montar um laboratório clandestino de drogas.

Jornal Midiamax