Polícia

Justiça marca data para ouvir réu do PCC acusado de se esconder no mato para executar rival em MS

Crime ocorreu há três anos, na região do Jardim Noroeste

Local onde o corpo da vítima foi encontrado
Local onde o corpo da vítima foi encontrado - Arquivo

O juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida, da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, agendou para o dia 20 de setembro a audiência de James Deann Lucas Martins, acusado do homicídio de Jamson Luiz Cordeiro, ocorrido no dia 20 de maio de 2018, no Jardim Noroeste. O crime teria sido motivado por uma rixa entre facções, tendo em vista que o autor seria do PCC (Primeiro Comando da Capital) e a vítima do CV (Comando Vermelho).

Na audiência serão ouvidas testemunhas de defesa e acusação, bem como ocorrerá o interrogatório do réu. Consta na denúncia oferecida pelo MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), que James agiu por motivo torpe e com recurso que dificultou a defesa da vítima. As informações são de que Jamson supostamente teria desrespeitado a esposa de James, bem como de outros criminosos, fato que despertou a ira dos mesmos.

Após descobrirem que ele também era ligado ao CV, presidiários despacharam a ordem autorizando o assassinato. No dia 12 daquele ano, James tentou matar Jamson, mas a vítima sobreviveu ao ataque. Mesmo assim, o réu continuou perseguindo a vítima e monitorando seus passos, a fim de levantar informações sobre a rotina. Na data do homicídio, James se escondeu em um matagal na Avenida Flores da Cunha.

Lá, esperou o momento em que a Jamson passava distraído pelo local e o surpreendeu, ferindo-o a tiros. A vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O corpo foi encontrado horas depois, por populares que passavam pelo local e acionaram a polícia. Com base nas informações do boletim de ocorrência da tentativa de homicídio, a polícia conseguiu chegar à autoria do assassinato e prendeu James, que responde processo.

Jornal Midiamax