Polícia

Júri afasta homicídio em caso de réu que matou homem após beijo na ex-mulher

Nesta quinta-feira (18), foi a júri popular Moisés de Campos Cruz, acusado de homicídio cometido em 15 de junho de 2019, no São Conrado. Valdivino Matias, de 55 anos, foi morto a facadas após beijar a ex-mulher de Moisés atrás de um caminhão e ser flagrado pelo autor. O julgamento foi presidido pelo juiz Carlos […]

Renata Portela Publicado em 18/03/2021, às 18h05 - Atualizado em 19/03/2021, às 13h19

Valdivino beijava a ex de Moisés atrás do caminhão (Arquivo, Midiamax)
Valdivino beijava a ex de Moisés atrás do caminhão (Arquivo, Midiamax) - Valdivino beijava a ex de Moisés atrás do caminhão (Arquivo, Midiamax)

Nesta quinta-feira (18), foi a júri popular Moisés de Campos Cruz, acusado de homicídio cometido em 15 de junho de 2019, no São Conrado. Valdivino Matias, de 55 anos, foi morto a facadas após beijar a ex-mulher de Moisés atrás de um caminhão e ser flagrado pelo autor.

O julgamento foi presidido pelo juiz Carlos Alberto Garcete, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, e resultou em absolvição e desclassificação do homicídio. O Conselho de Sentença decidiu que ele fosse julgado por lesão corporal dolosa seguida de morte.

Além disso, sob suposta alegação de que também teria agredido a ex-mulher, foi absolvido. Por fim, o réu foi condenado a 4 anos de reclusão, com regime inicial da pena aberto.

Relembre o caso

Naquele dia 15 de junho, Valdivino beijava uma mulher atrás de uma carreta na Rua Leão Zardo, quando foi surpreendido por Moisés. O ex-marido da mulher deu uma facada no peito da vítima, que morreu no local.

A princípio, Valdivino estava em um bar, acompanhado de outro homem com quem mantinha um relacionamento. Ele sumiu e essa testemunha o procurou, quando viu ele beijando a ex de Moisés. Assim, o homem voltou ao bar e contou para Moisés, que foi ao local e esfaqueou Valdivino.

*Matéria editada às 13h19 de 19/03/2021 para correção de informação

Jornal Midiamax