Polícia

Frentistas descobrem ‘brecha’ em sistema e furtam R$ 130 mil de posto

O proprietário de um posto de gasolina na Avenida Cândido Mariano, no centro da Capital, registrou boletim de ocorrência nesta segunda-feira (25) após descobrir que dois frentistas estavam furtando o local através de falhas nos sistemas internos e de cartões de débito ou crédito, utilizados pelo posto. Juntos, eles já haviam furtado cerca de R$ […]

Danielle Errobidarte Publicado em 25/01/2021, às 15h40 - Atualizado em 26/01/2021, às 16h32

No caso do etanol, o menor preço encontrado foi de R$ 3,39 e o maior de R$ 3,67. (Foto: Leonardo de França/Arquivo Midiamax)
No caso do etanol, o menor preço encontrado foi de R$ 3,39 e o maior de R$ 3,67. (Foto: Leonardo de França/Arquivo Midiamax) - No caso do etanol, o menor preço encontrado foi de R$ 3,39 e o maior de R$ 3,67. (Foto: Leonardo de França/Arquivo Midiamax)

O proprietário de um posto de gasolina na Avenida Cândido Mariano, no centro da Capital, registrou boletim de ocorrência nesta segunda-feira (25) após descobrir que dois frentistas estavam furtando o local através de falhas nos sistemas internos e de cartões de débito ou crédito, utilizados pelo posto. Juntos, eles já haviam furtado cerca de R$ 130 mil, inclusive com o cartão da mãe de um deles.

Os frentistas furtavam o posto de gasolina desde abril de 2020. Durante nove meses, eles se aproveitaram de uma falha de comunicação dos sistemas utilizados para pagamento e registros do comércio. Os funcionários fingiam terem vendido algum produto ou serviço do posto e faziam o pagamento através de algum cartão de crédito ou débito. Entretanto, antes da confirmação da venda, eles cancelavam a operação.

No sistema do cartão de crédito constava que havia sido feita uma venda, mas que estava cancelada. Contudo, a transação não era comunicada ao outro sistema, interno do posto de combustível. Era dessa brecha que os frentistas se aproveitavam.

Eles utilizaram, durante os nove meses, diversos cartões, que ainda não foram identificados, exceto por um deles: da mãe de um dos funcionários. Após conversa com o proprietário do empreendimento, ambos pediram demissão na última quinta-feira (21). O caso foi registrado na 1ª DP (Delegacia de Polícia) da Capital e será investigado.

Jornal Midiamax