Polícia

Facções brasileiras estariam por trás de plano de fuga em presídio na fronteira

A Ministra da Justiça do Paraguai, Cecília Pérez, informou nesta terça-feira (02) que as forças de segurança se depararam com rumores acerca de um plano de fuga na penitenciária de Pedro Juan Caballero, município localizado na linha internacional com Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande. Os autores seriam presos brasileiros ligados às facções […]

Renan Nucci Publicado em 02/03/2021, às 13h59

Entrada do presídio de Pedro Juan Caballero. Foto: Divulgação
Entrada do presídio de Pedro Juan Caballero. Foto: Divulgação - Entrada do presídio de Pedro Juan Caballero. Foto: Divulgação

A Ministra da Justiça do Paraguai, Cecília Pérez, informou nesta terça-feira (02) que as forças de segurança se depararam com rumores acerca de um plano de fuga na penitenciária de Pedro Juan Caballero, município localizado na linha internacional com Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande. Os autores seriam presos brasileiros ligados às facções criminosas PCC (Primeiro Comando da Capital) e Comando Vermelho.

Ao ABC Color, Pérez explicou que após a descoberta, foi reforçada a segurança nas unidades. “Tivemos a informação ontem. Enviamos servidores e reforçamos o alerta no local”, disse a ministra, lembrando que o plano pode estar relacionado com um atentado contra a casa da chefe de segurança da unidade.

A ministra disse ainda que, apesar das fortes suspeitas, no presídio não foram encontrados túneis ou passagens abertas pelos presos. Mesmo assim, os chefes de custódia não descartam que os faccionados estejam articulando uma fuga. O PCC, número maior na unidade, pode ser o responsável, até pela grande quantidade de recrutamentos.

“Já o Comando Vermelho está em menor quantidade. Eles não têm um recrutamento [ativo e constante como do PCC], mas são de alta periculosidade, pois fazem o possível para que seus negócios fora do presídio continuem operando normalmente”, destacou.

Jornal Midiamax