Polícia

Ex invade apartamento, espanca mulher e acaba preso escondido no banheiro

Mulher disse ter dois boletins registrados na Deam contra o ex e ainda medidas protetivas

Thatiana Melo e Dayene Paz Publicado em 21/06/2021, às 09h36

None
(Henrique Arakaki, Midiamax)

Mesmo com medidas protetivas que impedia o ex-marido, um pedreiro de 47 anos, de se aproximar da mulher de 41 anos, neste domingo (20), o homem invadiu o apartamento da vítima arrombando a porta e a agredindo. Ele já havia invadido o local no dia anterior.

As agressões foram por volta das 14 horas deste domingo (20), quando ele foi até o apartamento da ex-mulher no Parque Novo Século, em Campo Grande e passou a agredir que para se defender desferiu socos contra ele, que se escondeu no banheiro. A polícia foi chamada. 

Quando os policiais chegaram encontraram o pedreiro escondido no banheiro. Ele recebeu voz de prisão e foi levado para a delegacia. A mulher contou que havia registrado dois boletins de ocorrência cotra ele e que tinha medidas protetivas contra o homem. 

Como pedir ajuda em casos de violência doméstica

Em Campo Grande, a Casa da Mulher Brasileira está localizada na Rua Brasília, s/n, no Jardim Imá, 24 horas, inclusive aos finais de semana, para que as mulheres vítimas de violência não fiquem sozinhas, mesmo em tempos de pandemia.

Funcionam na Casa da Mulher Brasileira uma Delegacia Especializada; a Defensoria Pública; o Ministério Público; a Vara Judicial de Medidas Protetivas; atendimento social e psicológico; alojamento; espaço de cuidado das crianças – brinquedoteca; Patrulha Maria da Penha e Guarda Municipal. É possível ligar para 153.

Existem ainda dois números para contato: 180, que garante o anonimato de quem liga, e o 190. Importante lembrar que a Central de Atendimento à Mulher – 180 -, é um canal de atendimento telefônico, com foco no acolhimento, na orientação e no encaminhamento para os diversos serviços da rede de enfrentamento à violência contra as mulheres em todo o Brasil, mas não serve para emergências.

As ligações para o número 180 podem ser feitas por telefone móvel ou fixo, particular ou público. O serviço funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana, inclusive durante os finais de semana e feriados, já que a violência contra a mulher no Brasil é um problema sério no país.

Jornal Midiamax